Macaco encontrado morto em Maricá foi enviado para análise na Fiocruz


Por Romário Barros- Uma foto que circula pelas redes sociais tem assustado os moradores de Maricá. A imagem mostra um macaco morto da espécie ‘Bugio’, sendo segurado por um homem com o uniforme da Prefeitura de Maricá.

Um texto que circula junto a imagem diz: “Galera que ainda não tomou a vacina, favor correr para o posto imediatamente acabaram de achar um macaco morto no silvado”.

O LSM entrou em contato com a Prefeitura de Maricá que desmentiu o boato que circula pelas redes sociais. Segundo a Coordenadoria de Comunicação, a foto foi registrada no último dia 17 de Abril de um macaco da espécie ‘Bugio’ que foi encontrado morto no bairro do Bananal, em Ponta Negra e não no Silvado, como está sendo espalhado.

O animal foi enviado para a analise na Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz) e o resultado que apontará as causas da morte ficarão pronto em 15 dias.

Segundo a secretária de Saúde, Simone Costa, o importante nesse momento é que a população de Maricá fique tranquila quanto à atuação de todos os setores envolvidos. “Não é preciso haver alarde, nesse momento o mais importante é concentrar a ação de imunização nas áreas próximas ao bairro do Bananal, estabelecendo o bloqueio para que a febre amarela transmitida pelo vetor silvestre, não migre para o vetor urbano”, explicou.

O cinturão de proteção compreende os bairros rurais do Espraiado, Jaconé, Ponta Negra, Bambuí, Bananal, Manoel Ribeiro, Marinelândia e Guaratiba. A secretária acrescentou que a febre amarela silvestre é transmitida por um mosquito que não circula em áreas urbanas – onde a doença não ocorre desde 1946 – nas quais o vetor é o conhecido Aedes Aegypti. “Os macacos encontrados mortos na mata próxima ao Bananal são bugios, uma espécie de movimentação mais lenta e, por isso, mais suscetível à infestação”, completou Simone, reiterando que não se pode afirmar ainda que os animais morreram vítimas da doença. “A análise demora em torno de quinze dias para ter o resultado”.

A ação de bloqueio foi montada em sete postos da região (Espraiado, Ponta Negra, Bambuí, Guaratiba e Marinelândia) sendo dois postos volantes (inicialmente em Jaconé e Bananal), que serão instalados em pontos estratégicos e poderão ser deslocados para ampliar a abrangência. “A maioria das pessoas que vive nesses locais se desloca muito pouco, então vamos levar até eles as vacinas para termos o maior grau de eficiência possível”, emendou a secretária, reiterando que o importante nesse momento é que se busque informação com quem efetivamente está lidando com a questão. “Estamos trabalhando o tempo todo junto com a secretaria estadual de Saúde e tomando todas as medidas adequadas”, garantiu Simone. “Além disso, várias áreas do governo também estão atuando juntas no sentido de informar e tranquilizar a população”, disse, em alusão ao comitê criado pelo prefeito Fabiano Horta.

Uma das ações decididas pelo comitê já aconteceu nesta quarta-feira, quando todas as diretoras de unidades de ensino participaram de uma conversa com representantes da secretaria de Saúde para discutir aspectos da doença.

REPORTAGEM RELACIONADA
Morador de Maricá com suspeita de febre amarela morre em Hospital do RJ

Em razão da morte por suspeita de febre amarela, Festa de São Jorge é cancelada no Espraiado

error: Conteúdo protegido!