Passageiros cobram mais segurança nas linhas da Viação Nossa Senhora do Amparo


Nos últimos anos, os coletivos da Viação Nossa Senhora do Amparo tem sido alvos constantes de assaltos. Com o sequestro de um ônibus com reféns na subida da ponte Rio-Niterói na manhã desta terça-feira, 21, os passageiros que precisam utilizar os coletivos da empresa maricaense cobram mais segurança das forças policiais.

A falta de segurança nas coletivos é um problema antigo. Motoristas e passageiros estão cansados de ser  vítimas de criminosos e reclamam da falta de segurança e fiscalização nas estradas.

Para a moradora de Itaipuaçu, Lorena Macedo, as paradas em excesso pelo percurso e a falta de policiamento agravam a situação. “Fica até que fácil para eles (os ladrões). O maior problema é parar o ônibus, depois que parou ninguém vê nada e eles podem agir como quiserem que ninguém vai suspeitar”. disse.

ASSALTO COM REFÉNS EM NITERÓI

08Um assalto a um ônibus da linha Alcântara- Niterói da empresa ABC terminou pouco antes das 10h desta terça-feira, 21, após negociação da polícia com o sequestrador. Passageiros ficaram reféns desde as 8h50 na BR101, na subida da ponte Rio-Niterói, sentido Rio. Policiais militares e agentes da Polícia Rodoviária Federal participaram da negociação. De acordo com a PRF, os agentes faziam uma fiscalização na região, quando perceberam o motorista do ônibus fazendo sinal.

Às 9h09, o acesso à Ponte pela Av. do Contorno foi interditado por conta da ocorrência. Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) também foram acionados e participaram da ação. Uma mulher passou mal e foi liberada pelos criminosos. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, além dela, outras duas pessoas tinham sido liberadas até as 9h09.

048c530e-c1f4-4df7-b5e2-f8997f6b0914De acordo com o tenente coronel Marçal, que participou da ação, o suspeito usou uma arma falsa para abordar os 30 passageiros do ônibus. A esposa do assaltante participou do processo de negociação e quis que a mulher entrasse no veículo, o que não foi permitido pelos policiais. Ainda segundo a polícia, no início se tratava apenas de um assalto, mas quando o criminoso percebeu que a polícia tinha sido acionada, resolveu fazer os passageiros reféns.

Uma mulher serviu de escudo para o suspeito durante a negociação. “Ele estava deitado no chão, na parte traseira do ônibus, com a mulher deitada na frente dele, para que garantisse a integridade física dele”, destacou o PM.

Ainda de acordo com o tenente-coronel Marçal, o sucesso do trabalho da polícia se deveu à paciência nas negociações. O PM contou ainda que nenhum refém foi agredido.

“Toda negociação é tensa, mas com muita paciência, conseguimos persuadí-lo de continuar esse sequestro e pouco a pouco ele foi liberando os passageiros. Primeiro, os mais nervosos, as mulheres e depois conseguimos que todos os passageiros fossem colocados em liberdade”, explicou o militar.

O acesso à Ponte Rio-Niterói foi totalmente liberado 10h09. O presos e os passageiros foram levados para a 76ª DP, no Centro de Maricá, onde a ocorrência está sendo registrada.

error: Conteúdo protegido!