Projeto ‘Maricá + Verde’ dá dicas para o melhor plantio


unnamed

A primeira edição do projeto “Maricá + Verde” deste ano acontece nesta quinta-feira (12/01), das 9h às 13h (ou até acabarem as mudas), na Praça Nossa Senhora das Graças, em Ponta Negra. Idealizado pela Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente e realizado desde 2014 sempre às quintas-feiras, o projeto já permitiu a doação de cerca de 1.000 mudas de várias espécies nativas da Mata Atlântica.

Segundo o subsecretário da pasta, Guilherme Motta, este ano o programa vai distribuir cerca de 100 mudas por semana. “Entregamos as espécies de acordo com os locais em que são distribuídas, adaptadas ao clima e nativas, para não atrapalhar seu desenvolvimento”, avalia. “Por exemplo, no caso de Ponta Negra optamos por doar mudas mais resistentes devido à salinidade”, acrescentou. Ainda de acordo com o subsecretário, a muda de Ipê (tabebuia) não é indicada para terrenos muito próximos à praia, mas pode ser plantada em terrenos mais distantes.

Ponta Negra, segundo Guilherme, é o local ideal para plantas frutíferas e flores vívidas, as mais bonitas e coloridas. Desta forma, a pitangueira (Eugenia uniflora), o algodão da praia (Hibiscus tiliaceus), a acácia imperial (Cassia ferruginea) e a pata de vaca (Bauhinia forficata) são algumas das espécies que serão distribuídas.

Mas, além de buscar suas mudas, é importante que as pessoas tenham consciência dos cuidados a serem tomados. “Nós sempre orientamos os moradores a manterem uma distância mínima para o plantio de 2 metros do sistema de esgotamento sanitário e aconselhamos a removerem a embalagem que envolve essas mudas”, orienta o subsecretário, acrescentando ainda que não se deve realizar o plantio em manilhas e que é importante priorizar o início da estação chuvosa. Neste período de estiagem, o ideal é optar por regar as mudas no início da manhã e no final do dia. “Priorizando a ausência do sol”, ensina Guilherme.

unnamed

error: Conteúdo protegido!