Secretário não aparece na audiência pública da saúde de Maricá


img_0117-1024x683

Muito esperando na audiência pública da saúde, o Secretário Peterson Cabral não deu as caras na Câmara Municipal de Maricá nesta sexta-feira, 09. Durante mais de três horas, representantes da Secretaria, da sociedade civil e vereadores participaram da audiência.

A sessão, aberta ao público foi presidida pelo vereador Tataí do Sacolão (PTB) e apresentada pelo Superintendente de Vigilância em Saúde, Rodrigo Pereira, que falou sobre o número de atendimentos na Atenção Básica no Hospital municipal Conde Modesto Leal, no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e outros. Além disso, o superintendente falou sobre os indicadores e metas alcançadas tais como número de testes de sífilis por gestante e taxa de mortalidade infantil.

Rodrigo Pereira destacou que em meio a um ano de crise, o município investiu mais em saúde. “Sabemos que a saúde é complexa, burocrata e que foi um ano difícil. Mas sabemos que o município tem que investir 15% de recursos próprios na saúde. Mas o que vemos é que Maricá investiu mais do que isso. Investiu 21 % de recursos próprios”, afirmou o superintendente.

Estiveram presentes ainda o Vereador Dr. Felipe Auni (PSD) e Robson Dutra (PTN), além dos vereadores eleitos Marcinho da Construção (DEM), Filipe Poubel (DEM) e Ricardinho Netuno (PEN). Auni lamentou a ausência do secretário e disse que ele não respeita o legislativo e muito menos o povo do município de Maricá.

Representantes do Conselho Municipal de Saúde falaram que as contas da Secretaria adjunta de saúde no exercício de 2015 não foram apresentadas ao conselho dentro dos prazos determinados estabelecidos na lei de responsabilidade fiscal e por isso foram reprovadas. O conselho também não teria recebido as informações solicitadas para a analise da comissão de finanças e orçamentos, além dos membros não terem participado da elaboração da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentarias) e da LOA (Lei Orçamentária Anual).

error: Conteúdo protegido!