Atletas maricaenses representaram o Surf de Peito no Espírito Santo


A equipe do “Projeto Marola”, embarcou nesta quinta, 15, para Vilha Velha, Espírito Santo, onde disputará o 4ª Etapa do Kpaloa Brasileiro de BodySurf , entre os dias 17 e 18 de Agosto.

Os atletas: Thales Amaral, Maurus Ismael, Lucas Pimentel, Luiz Altair, Enzo Prata, Dyogo Lobo, Derlan Quintanilha, Santiago Prata e Gustavo Castro; vem se desatacando nos campeonatos e irão concorrer mais uma vez.

A delegação conta com cerca de 30 pessoas. Entre eles o atleta mais jovem, Enzo Prata de 11 anos e foi a revelação no Itacoatiara Bodysurf e Luiz Altair, é campeão no Kpaloa Marola Pro Bodysurf, que foi realizado em Itaipuaçu.

O surfe de peito é considerado um dos primeiros contatos do homem com o mar, muito antes do surfe e dos grandes esportes aquáticos que necessitam de qualquer equipamento para se praticar, o famoso “jacaré”, teve sua melhor fase, conhecida como ‘Anos Dourados’, no fim dos anos 80 e início dos 90, pois foram criadas as primeiras entidades (ASPERJ – associação de surf de peito do RJ e o RJBC- Rio de Janeiro bodysurfing club) que teve reconhecimento pelo ministério da Educação e pelo conselho nacional de desportos e em consequência vinculado ao sistema desportivo Brasileiro.

Hoje o Surfe de Peito/ Bodysurf é praticado em milhares de praias brasileiras e no mundo. Sua engajada veio devido à evolução do surfe de prancha. Enquanto as manobras do surfe foram crescendo, desenvolvendo e radicalizando, o bodysurf foi acompanhando. No início, os praticantes simplesmente despencavam nas ondas grandes, hoje existem manobras como tubo, parafuso, rollo aerial, 360º e outras.

error: Conteúdo protegido!