Caso da enxada em Maricá: Homem envolvido conta sua versão


Após veiculação da matéria sobre um homem que foi acusado de ter agredido uma grávida com uma enxada e em seguida ter quebrado o vidro de um carro na última segunda-feira, 4, no interior de um condomínio em Maricá, foi pedido um direito de resposta pelo homem. Fábio Barbosa, de 41 anos, que contou a sua versão sobre o ocorrido e afirma não ter agredido a mulher.

A primeira matéria foi feita com base nos relatos contidos no Registro de Ocorrência enviado pela mulher – dada como vítima – a qual acusava o homem de ter atingido sua perna com a enxada. Contestada a versão, o LSM concedeu o direito de resposta à Fabio, que enviou os seus relatos pelo WhatsApp da redação.

De acordo com o Fabio, no dia do ocorrido, ele não estava em casa e foi às pressas para o condomínio aonde mora após sua filha informar – por telefone – que o Pitbull da vizinha estaria atacando a sua cadela e sua esposa estava tentando separar a briga canina.     

“Eu estava no centro da cidade quando recebi uma ligação da minha filha de 9 anos, chorando muito, pedindo por favor para que eu fosse para casa correndo, pois o Pitbull da vizinha havia fugido mais uma vez e desta vez, estava atacando a minha cadela no meu quintal e nesse momento, só estavam em casa minha filha e minha esposa grávida de 3 meses. Minha esposa estava lutando com o cachorro da vizinha para por ele pra fora e não deixar que ele matasse minha cadela.”  Relatou o homem.

Segundo ele, ao chegar em casa, encontrou a proprietária do cachorro junto ao portão, que estava com sangue e no momento, acreditou que o animal havia ferido alguém de sua família e por isso, decidiu enfrentar o cão com uso de uma enxada.

“Chegando no portão da minha casa, eu encontro meu portão todo ensanguentado e a dona do Pitbull em pé no meu portão, logo eu imaginei o pior e que o cachorro havia invadido minha casa e feito uma desgraça, entrei rapidamente no meu quintal, peguei uma enxada para poder enfrentar o Pitbull, mas depois de vistoriar todo o quintal, percebi que o cachorro não estava mais ali.” Narrou o homem.

Fabio conta que ao entrar na residência encontrou a sua mulher desmaiada, o que fez aumentar a vontade de atingir o cachorro com a enxada e ao sair de casa, atingiu sem intenção a perna da empregada da dona do cachorro – que também estava do lado de fora.

“Entrei na minha casa e vi minha esposa desmaiada no sofá e minha filha ao lado chorando bastante, então eu fui em direção ao portão da minha casa achando que o cão da vizinha ainda estivesse por ali, mas quando eu saí no portão para fora ainda com a enxada na mão, sem querer, acidentalmente, a enxada esbarrou na canela da […], empregada da […], dona do Pitbull.” Disse.

Após o ‘incidente’, Fabio relatou que a mulher e a dona do cachorro começaram a ofendê-lo com xingamentos e por revolta, golpeou o para-brisa do veículo com a enxada.

“Nesse momento que a […] começou a me xingar com palavras de baixo calão, me ofendendo juntamente com, a dona do Pitbull, e nesse momento de fúria, acabei danificando o carro da […] com a enxada.” Relatou.

Segundo Fabio, a atitude de depredação não pode ser justificada pelo momento impulsivo, mas a sua conduta foi de proteção. De acordo com ele, o cão já atacou outras pessoas no condomínio e culpa a proprietária de negligência. Fabio se declara inocente.

“Não justifica, porém, eu estava apenas querendo proteger a minha família de um animal que já havia feito outras vítimas no condomínio, devido a negligência de cuidados. Estou a disposição da justiça para assumir todos os meus atos. E que fique bem claro que eu jamais dei nenhum golpe de enxada na mulher. Sou homem e chefe de família.” Disse o homem, assumindo

O nome da dona do cachorro e da grávida ferida não foram revelados por medida de segurança à pedido das mesmas.

A Delegacia de Maricá (82ª DP) abriu inquérito para investigar o caso. A mulher que teve a perna atingida pela enxada passou por exame de corpo de delido no Instituto Médico Legal (IML) do Barreto ainda na quarta-feira e o laudo deverá sair em 30 dias.

REPORTAGEM RELACIONADA

REPÚDIO ÀS ACUSAÇÕES FEITO AO LSM

O LSM repudia qualquer e toda acusação leviana que venha ferir a integridade do profissionalismo dos nossos colaboradores, com o intuito de denegrir a postura profissional jornalística sobre as matérias publicadas nesse portal de notícia.

Há 9 anos, o LSM vem trazendo informações de forma clara, objetiva e imparciais sobre os acontecimentos na cidade de Maricá, sempre respeitando a diferença de opiniões de nossos leitores e admiradores.

O LSM sempre terá o seu canal aberto para esclarecimentos, retrações, opinião, sugestão e denúncias à quem tiver interesse. O leitor poderá entrar em contato conosco através do nosso whatsApp 99086-3309.

error: Conteúdo protegido!