Eleições 2018 podem ter definido a disputa pela Prefeitura de Maricá em 2020



Por Romário Barros – Analisando os resultados das eleições 2018 podemos afirmar que o cenário político para a corrida pela Prefeitura de Maricá em 2020 já pode ter sido definido. De um lado teremos o atual prefeito Fabiano Horta (PT) e do outro Filippe Poubel (PSL) que surge como um nome forte na oposição.

Os números em Maricá dizem muito. Poubel, agora como Deputado Estadual, eleito neste domingo, com 27.752 mil votos, surge como uma importante liderança política não só em Maricá, mas em todo o Estado. Em Maricá, Poubel obteve 12.089 votos.

Na cidade, Marcelo Delaroli (PR) perde força com a derrota de Romário (Podemos) ao Governo do Estado. O político, que foi o vice na chapa do ‘baixinho’, vêm de três derrotas consecutivas a Prefeitura de Maricá (2008-2012-2016) e não deve ser o nome e muito menos ter força para 2020. Poubel deverá ser o candidato da oposição já que contribuiu para o resultado esmagador no primeiro turno de Jair Bolsonaro (PSL) em Maricá.

A contagem de votos apontou que neste domingo (7) Bolsonaro foi o político mais votado para o cargo de presidente na cidade de Maricá, com 57,59% dos votos, ou 45.117 votos. Em segundo lugar, o candidato pelo PT, Fernando Haddad, teve 24,84% dos votos válidos, ou seja, 19.462. Foram 25.655 votos de diferença. Tudo leva a crer, que com o apoio de Bolsonaro, Poubel seja o candidato a Prefeito.

Já pelo lado do PT, o atual prefeito Fabiano Horta, conseguiu nas eleições 2018 uma grande proeza, que foi conquistar 19,8% das intenções de voto na cidade para a candidata a Governadora Márcia Tiburi (PT), ficando em segundo lugar por aqui, perdendo apenas Wilson Whitzel (PSC). Além disso, Fabiano elegeu Quaquá e Zeidan, como deputados Federal e Estadual, respectivamente. Quaquá obteve mais de 74 mil votos no Estado, sendo aproximadamente 27 mil em Maricá. Já Zeidan, teve cerca de 23 mil votos, dos 48 mil conquistados em todo o Estado. Quaquá aguarda a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para assumir a cadeira em Brasília.

Em 2020, Horta deverá continuar com o seu principal cabo eleitoral, o atual Secretário Geral de Governo e Obras, Renato Machado, que tem sido uma importante liderança no município e tem demonstrado ser o fiel escudeiro do político.

Os vereadores da base governista, como Fabrício Bittencourt, líder do Governo na Câmara, e o Presidente da Câmara, Aldair de Linda (PT), também terão um papel fundamental para tentar reeleger Horta.

Outros nomes para a corrida pela Prefeitura deverão surgir até 2020.

 

error: Conteúdo protegido!