Enel atrasa entrega da nova ponte de Ponta Negra


Os moradores de Ponta Negra, Jaconé e região sofrem com a expectativa da entrega na nova ponte mas por descaso da Enel, a previsão é que a obra só seja entregue a população no ano que vem.

Com as obras iniciadas em outubro, a nova peça viária vai dispor de duas faixas de rolamento e guarda-corpos para pedestres em ambos os lados, com largura total de 11 metros, mas devido a três postes que atrapalham o desenvolvimento do projeto, as obras estão paradas.

O LSM recebeu diversas reclamações de moradores que questionam uma previsão para entrega da nova ponte, já que a antiga ponte está interditada, oferecendo perigo a pedestres e motoristas que só tem aquele acesso para a travessia. Caminhões precisam dar a volta em Bambuí para chegar em Ponta negra, dando a volta por Manoel Ribeiro e passando por Vale da Figueira e Bananal.

Os ônibus ‘vermelhinhos’ também mudaram seu itinerário por conta da interdição da ponte. Os ônibus que fazem a linha Cordeirinho vão até a antiga a ponte mas não atravessam, retornam e voltam pelo mesmo caminho até o centro. Os ônibus que fazem a linha Manoel Ribeiro, dão a volta na Praça de Ponta Negra e retornam pelo mesmo trajeto.

Em meio há tantas reclamações, o LSM entrou em contato com a Autarquia de Serviço de Obras de Maricá (SOMAR) que em resposta afirmou que a paralisação das obras da nova ponte se deu por conta de três postes de alta tensão que estão posicionados exatamente no início da ponte, oferecendo risco aos funcionários da Prefeitura na continuação do projeto.

A SOMAR ainda afirma ter entrado em contato inúmeras vezes com a Enel e a concessionária sempre adia a retirada dos postes, atrasando completamente o prazo da entrega da nova ponte que seria ainda neste ano.

error: Conteúdo protegido!