Enel tenta justificar alta na conta de energia elétrica para representantes da Prefeitura de Maricá



Na tarde desta sexta-feira (01/02), a prefeitura se reuniu com a concessionária de energia elétrica Enel para esclarecer dúvidas dos moradores de Maricá, principalmente relacionada às reclamações que chegaram até o Procon em busca de solução das contas de luz com valores mais altos. O encontro aconteceu na sede da Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar).

“O objetivo da reunião foi tentar encontrar uma solução para as constantes quedas de energia que os munícipes relatam ao Procon, relacionando também o aumento de energia que algumas casas têm recebido. Precisamos alinhar com a Concessionária também quais atitudes irão tomar, pois estamos no verão, onde se faz mais uso de energia dentro de casa e é uma época também que a cidade recebe muito mais visitantes e turistas”, disse o secretário de Iluminação Pública, Adelso Pereira.

Na próxima semana, a Prefeitura estará no prédio da Enel, em Niterói, num encontro com a presidência da Concessionária, onde irão apresentar os projetos futuros do município, que irão demandar mais serviço e, consequentemente, será necessário um investimento maior da Enel na cidade.

NOTA DA ENEL
A Enel Distribuição Rio esclareceu em nota que não há qualquer irregularidade no processo de medição e faturamento da companhia. A empresa acrescenta que, com as altas temperaturas do Verão, há aumento no consumo de energia, devido ao uso mais frequente da geladeira, de aparelhos de ar condicionado e ventilador, por exemplo. A distribuidora esclarece ainda que não houve alteração de tarifa no mês de janeiro/19.

A Enel orienta os consumidores a verificarem seu consumo de energia em kWh, comparando o valor consumido atualmente com o do mesmo mês do ano passado. Mesmo com o consumo parecido nos verões de 2018 e 2019, os clientes verificarão um aumento no valor das contas deste ano, devido ao reajuste tarifário anual que ocorreu em 15 de março de 2018. Além disso, a distribuidora ressalta que quando o consumo de energia ultrapassa 300 kWh, o ICMS que incide sobre a conta passa de 18% para 32%.

Em uma conta de luz no valor de R$ 100, apenas R$ 22,7 são destinados às atividades da distribuidora, para operação, expansão, manutenção da rede de energia elétrica e para remuneração dos investimentos. Cerca de R$ 31,20 são destinados ao pagamento de impostos e R$ 12,6 são encargos setoriais. Além disso, R$ 26,5 são direcionados a custos de energia e R$ 6,9 à transmissão.

A distribuidora ressalta ainda que os valores do Sistema de Bandeiras Tarifárias e a definição da bandeira de cada mês são fixadas pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Medidas simples podem auxiliar o cliente a adequar o valor da conta de luz ao orçamento familiar. A troca de lâmpadas incandescentes de 100W por modelos LED de 14W, por exemplo, representa uma economia de, aproximadamente, 16 kWh/mês para cada ponto de luz. Ajustar a temperatura correta do ar nos dias de calor mais forte (para uma temperatura agradável de 23º) também pode garantir redução no consumo, com até 5% de economia por aparelho. Manter a manutenção adequada destes aparelhos também evita consumo excessivo no verão. Tirar da tomada equipamentos que utilizam o modo stand-by é outra medida que ajuda o consumidor a utilizar energia de forma consciente.

error: Conteúdo protegido!