Escolas da rede municipal entregam cestas básicas e kits de limpeza em Maricá


LSM – A Prefeitura de Maricá, através das Secretarias de Educação e Assistência Social, realizou a distribuição de mais um mês das cestas básicas e kits de limpeza e higiene na manhã e tarde desta segunda-feira, 2, nas escolas do município.

A distribuição das cestas e kits tem o objetivo de auxiliar os pais e responsáveis durante a pandemia de Covid-19. A entrega será feita para os estudantes de todas as escolas até sexta-feira, 6.

Com o retorno de parte dos alunos às aulas presenciais, as equipes que trabalham na entrega das cestas e kits estão menores e, por isso, as direções das escolas estão dividindo a distribuição em horários pela manhã e à tarde, com intervalo para o almoço e a entrada e saída dos estudantes.

“Tivemos mais de 60% de alunos voltando e temos de dar a devida assistência. Aqui esperamos que a distribuição deva durar três dias”, projetou Leila Marisa Siqueira, diretora-adjunta da Escola Municipal Anísio Spíndola Teixeira, que fica em Itaipuaçu e tem 1.773 estudantes.

Neste colégio, o casal formado pelo empresário Márcio Quintanilha, de 58 anos, e a supervisora Auzilene Soares, de 45 anos, foi buscar o benefício do filho, que estuda no 3º ano: “A clientela diminuiu demais na pandemia e essa cesta é uma ajuda enorme”, garantiu ele, que mora com a esposa no Jardim Atlântico.

Já a diarista Elizabeth Moraes, de 47 anos, tem um filho no 5º ano da mesma unidade e afirmou que os alimentos doados são o que vem mantendo a família. “Eu estou desempregada e é a cesta que garante nossa alimentação. Para mim, é muito bom”, afirmou.

Já na Escola Municipal Alfredo Nicolau da Silva Júnior, no Marquês – onde metade dos 453 alunos retornaram às aulas presenciais – até um carrinho de mão foi utilizado pelos funcionários para facilitar a entrega das cestas e kits de limpeza. “Isso nos ajuda a agilizar a entrega. Além dos alimentos e materiais de higiene e limpeza, estamos também recebendo e entregando as atividades das crianças”, lembrou a diretora-adjunta Geovana Figueiredo.

Uma das mães que teve ajuda do carrinho foi a manicure Jaqueline Nunes, de 30 anos, que mora no Flamengo. “Com a pandemia, os clientes sumiram e a renda diminuiu muito. A cesta é uma garantia para nós”, disse ela, cuja filha estuda no 4º ano.

De bicicleta, Wilson Pereira chamou a atenção para outro fator grave da pandemia e que a cesta ajudou a minimizar. “O preço dos alimentos aumentou de um jeito que complicou para muita gente, por isso também essa cesta é tão importante”, observou o vendedor de 47 anos, que tem um filho no 5º ano.

Fonte: PMM

error: Conteúdo protegido!