Helicóptero que caiu na Baia de Guanabara realizava treinamentos no Aeroporto de Maricá



O helicóptero do Grupamento Aeromóvel (GAM) da Polícia Militar que caiu na manhã desta segunda-feira, 14, na Baia de Guanabara, culminando na morte de um Militar, fazia treinamentos semanais no aeroporto de Maricá. 

O sargento Felipe Marques de Queiroz, de 37 anos, uma das vítimas da queda do helicóptero da Polícia Militar (PM), no Rio de Janeiro, morreu na manhã de hoje (14). Ele era um dos quatro tripulantes que estavam na aeronave do Grupamento Aeromóvel (GAM) da PM durante o acidente.
 
Outros três policiais foram socorridos e levados ao Hospital Central da PM, mas estão fora de perigo, de acordo com informações de policiais.
 
A aeronave Fênix 08 do GAM, um helicóptero do modelo esquilo, patrulhava a Linha Vermelha, principal via de ligação entre a Baixada Fluminense e o centro do Rio, quando teve que, segundo a PM, “fazer um pouso forçado na água”, nas proximidades das ilhas do Governador e do Fundão, na manhã de hoje.
 
O helicóptero, segundo a PM, estava com manutenção regularizada. O acidente será investigado pela Aeronáutica e pelo Centro de Criminalística da PM.

A aeronave
A aeronave era chamada de Fênix 08. De acordo com o registro na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), trata-se de um helicóptero modelo esquilo AS 350 BA fabricado em 1998 pela Helibras. O peso máximo de decolagem é de 2,1 toneladas e o veículo voa com um motor turboeixo.

A aeronave pode transportar até cinco passageiros, e o Certificado de Aeronavegabilidade – documento que comprova que uma aeronave está com sua condição verificada – vai até 15 de janeiro de 2022.

“A aeronave Esquilo Modelo H-350 BA estava com manutenção regularizada. O acidente será apurado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos. O Centro de Criminalística da Polícia Militar também acompanhará a apuração”, emenda a nota.

error: Conteúdo protegido!