Hemorio lança programa ‘Jovem Salva Vidas’ nas escolas municipais de Maricá


O Centro Educacional Municipal Joana Benedicta Rangel, no Centro, foi o palco do lançamento do programa Jovem Salva Vidas em Maricá. Desenvolvida pelo Hemorio, a iniciativa trabalha com jovens a partir dos 12 anos, incutindo neles noções de cidadania e da prática solidária da doação de sangue.

“Temos o tema central da doação do sangue, e temas transversais como infecções sexualmente transmissíveis, hábitos alimentares saudáveis, risco do abuso de álcool e outras drogas, para que estes jovens estejam aptos a realizar a doação quando completarem a idade mínima exigida”, explicou a assistente social do Hemorio, Ana Ester Machado Carlos.

De acordo com Daniele Figueiredo, biomédica e sanitarista coordenadora do projeto das Agências Transfusionais frente ao Hemorio, em uma parceria com a Secretaria de Saúde de Maricá, o projeto contemplará ao todo 12 escolas municipais, divididas por distrito. “Estamos trazendo a assistente social do Hemorio, através de uma parceria entre as secretarias municipais de Saúde e Educação, para ministrar palestras do programa Jovem Salva Vidas. Tive contato com o programa no Rio, gostei muito e vi a possibilidade de inserir Maricá nessa educação para a doação voluntária”, revelou.

Ainda segundo Daniele, Maricá tem tudo para ter um hemocentro. “As agências transfusionais estão sendo reformadas e reformuladas, estamos em um tempo muito promissor em relação a qualidade da doação de sangue no município”, destacou.

Representando a secretária de Educação Adriana Luíza, a gerente de programas e projetos intersetoriais Sônia Freire falou sobre a ação. “É uma grande satisfação trazer este projeto para os nossos alunos através da parceria com o Hemorio e com a Secretaria de Saúde. A abertura aconteceu aqui no Joana, mas a iniciativa irá se estender, atendendo alunos do 9° ano ao sistema EJA (Educação de Jovens e Adultos)”, disse Sônia.

Para a diretora geral do CEM Joana Benedicta, professora Maria Wanda é uma honra ser a primeira escola a receber a iniciativa. “Este é um projeto muito importante para a população de Maricá, a porta para que nós possamos humanizar o nosso município através da conscientização dos nossos alunos”, afirmou.

A aluna Glenda Luiza Tavares, que tem 16 anos e já pode ser uma doadora, disse que esclareceu muitas dúvidas com a palestra. “Eu nunca tinha ouvido falar muito sobre a doação de sangue, agora ouvindo sobre tudo eu tirei minhas dúvidas e despertei meu interesse de doar. Muitas pessoas morrem pela falta do conhecimento, muitos não sabem que podem ser doadores para pessoas que precisam”, afirmou.

A mesa de abertura do evento contou ainda com a presença do vereador Rony Peterson, autor da Lei Municipal n° 2.754, pela criação da semana Municipal de Doação de Sangue e Medula Óssea. “Temos uma lei sancionada pelo prefeito Fabiano Horta e vamos lutar muito para que Maricá seja um município referência em doação de sangue”, finalizou Rony.

error: Conteúdo protegido!