Hospital Conde Modesto Leal está preparado para pacientes durante o verão


Com o período da alta temporada começando – quando recebe um número maior de veranistas, sem contar o fato de a população ter aumentado com pessoas que escolheram cumprir o isolamento social em Maricá – a importância do Hospital Municipal Conde Modesto Leal e das outras unidades de saúde aumenta mais ainda.

Por ser um hospital de urgência e emergência que atende a uma grande região, inclusive a pacientes da Covid-19, o Conde, como é chamado pela população, vem preparando seu plano de ação para o verão 2021 e já o está implementando.

A unidade está abastecida e com equipes completas, mas tem um limite de capacidade operacional.

“Temos de ressaltar que o Conde é um hospital de portas abertas e que tem uma grande importância em toda essa região, especialmente quando a pandemia impõe desafios adiconais. Por isso a Prefeitura está sempre atenta para que a unidade, que faz um atendimento excepcional para a sua capacidade, não fique sobrecarregada.” – ressalta a secretária de Saúde de Maricá, Simone Costa.


O HMCML tem 90 leitos, dos quais 8 para trauma (porta de entrada de acidentes de trânsito), 10 nas duas unidades semi intensivas, 4 na unidade pós cirúrgica feminina, 4 na pós cirúrgica masculina, 8 na clínica médica feminina, 20 na masculina, 5 na pediatria, 5 na Unidade de Pacientes Graves, 12 leitos da maternidade e por último 15 leitos para pacientes com Covid-19.

A multiplicidade se reflete nos números de atendimento. Nos últimos três meses foram 22.235; sendo outubro – 8.022; novembro – 7.193; e dezembro – 7.020. Com o menor movimento de turistas na cidade devido à pandemia e ao isolamento social, ficaram abaixo do registrado no ano passado: em janeiro de 2020 foram realizados 13.698 atendimentos em apenas um mês.

Para esse verão é esperado entre 10 e 12 mil atendimentos mensais. As equipes ainda realizaram cerca de 730 cirurgias, das quais 393 de urgência, quando aa mobilização precisa ser muito rápida.

“O Conde vem se preparando desde o fim do ano passado ao aumento da demanda de atendimentos nesse período. Apesar das limitações físicas, estamos mantendo fluxo separado para os casos suspeitos de Covid. Nossos profissionais foram capacitados para esse período e quando necessário contratamos funcionários extras para manter a qualidade do atendimento.” – comentou o diretor médico, responsável técnico do hospital, Glauco Pontes, há 15 anos parte da equipe do HMCML.

error: Conteúdo protegido!