Japoneses vencem segundo dia do Desafio de Futebol, na Arena Flamengo


Depois do campo, foi a vez do futsal no 8º Desafio Internacional de Futebol Brasil e Japão. As equipes A e B dos projetos Maricá+Esporte e Esporte Presente realizaram nesta sexta-feira (26/7) quatro jogos na Arena Flamengo contra os meninos do Abelhas Chiba (da cidade japonesa de mesmo nome), todos na categoria sub-15. Se no gramado do Esporte Clube Maricá os brasileiros levaram vantagem na quinta-feira (25), os orientais se sobressaíram no futebol de salão vencendo com sobras duas partidas (uma por 8 a 1 e a outra por sonoros 10 a 0), empatando a segunda (2 a 2) e com apenas uma derrota, por 7 a 0.

O propósito do encontro, porém, vai além de vencer os jogos. De acordo com o coordenador de projetos da Secretaria de Esportes de Maricá, Carlos Vagner Frauches, a troca de experiências é o mais importante de tudo. “É algo que vai além do futebol, a parte cultural também é muito marcante. Um exemplo é quando o jogo termina e eles recolhem todo o lixo que é jogado no campo. É um espelho para os nossos meninos”, avaliou ele.

E foi mesmo o foco e a disciplina dos garotos japoneses o que mais marcaram os adversários de Maricá. “Eles são muito tranquilos, muito focados. Não se abalam com nada”, observou o goleiro Bruno Pereira, de 15 anos, um dos destaques da disputa com incríveis defesas. Uma das únicas meninas em quadra, a ala esquerda Clara Peixoto também se impressionou com o comportamento deles. “Até a forma que eles têm de te cumprimentar é bem diferente. Foi uma experiência muito bacana”, afirmou ela, também de 15 anos e moradora do Flamengo.

O também ala Pedro Miguel Mendes, de 15 anos, contou com uma torcedora especial em pleno Dia dos Avós. Dona Eunice Feitosa, de 79 anos, mora com o neto em Pindobal há seis meses e veio à região do Centro pela primeira vez, só para torcer pelo neto. “Ele estava preocupado, pensando como ia ser, e viemos pra torcida junto com a mãe e os outros netos”, explicou a avó, dizendo que acompanha futebol e é torcedora do Flamengo.

Com 22 anos atuando na base do futebol japonês, o carioca Pedro Carlos Ribeiro não escondia a satisfação por trazer, por mais um ano, a equipe do Abelhas Chiba a Maricá em sua turnê nacional. “Jogamos no Rio e até em Minas Gerais, mas sempre passamos por aqui. São muitos anos de contato com o pessoal aqui, e este ano a estrutura foi ainda melhor. Trouxemos o futsal e agora queremos trazer o futebol de praia”, projetou o treinador brasileiro, que divide o comando técnico do time com Ryosuke Furukawa. “É o terceiro ano que venho e melhorou bastante nesse tempo. O esporte aqui se desenvolveu bastante”, observou o técnico. Entre os jogadores, Shosaki destacou a vibração da torcida nos jogos. “Aqui tem muita energia, muita alegria em volta”, disse ele, de 15 anos.

error: Conteúdo protegido!