Lei Seca inicia a Operação Verão em Maricá


A Operação Lei Seca iniciou nesta quinta-feira, 16, a Operação Verão, com blitzes diurnas de fiscalização e conscientização nos principais acessos às praias, áreas de lazer e cachoeiras. As ações serão realizadas em toda a Região Metropolitana e Interior do estado e vão até depois do Carnaval.

Este é o sexto ano consecutivo da Operação Verão da Lei Seca. Na última edição, que aconteceu de 10 de janeiro a 10 de março deste ano, foram abordados 23.739 motoristas e 1.455 apresentavam sinais de embriaguez, o que representa 6,12% do total de abordados.

“Pretendemos com esta Operação Verão que a população entenda que os riscos de misturar bebida alcoólica e direção não tem hora”, reforçou o Superintendente da Operação Lei Seca, tenente-coronel Marcelo Rocha.

Durante todo o verão também serão intensificadas as ações educativas nas áreas de lazer e praias a fim de alertar a população sobre os riscos de beber e dirigir.

As blitzes noturnas continuarão sendo realizadas normalmente. Nesta quinta-feira, 16, a operação Verão estava na Avenida Vereador Francisco Sabino da Costa, principal acesso para o Centro de Maricá e praias.

Lei Seca realizou mais de três mil ações de conscientização em 2019

A Operação Lei Seca está diariamente nas ruas com o objetivo de reduzir o número de casos de embriaguez ao volante e, consequentemente, prevenir acidentes de trânsito em todo Estado. Em 2019, foram realizadas 3.851 ações de educação e fiscalização. Por meio do trabalho realizado pelos 200 agentes da operação é possível mudar gradativamente o comportamento da sociedade no trânsito.

No último ano, os agentes de educação da Lei Seca realizaram 1.479 ações entre palestras em escolas, universidades e empresas ou ações em grandes eventos, estádios de futebol e bares para que as pessoas tenham a percepção dos riscos da combinação álcool e direção. A equipe conta com 28 agentes cadeirantes (vítimas de acidentes de trânsito provocados pelo consumo de álcool) para humanizar cada vez mais a operação.

Já na área de fiscalização, foram realizadas 2.372 blitzes e registrados 13.119 casos de alcoolemia em 2019. Ao ser abordado em uma blitz, o condutor do veículo deve realizar o teste do bafômetro. Caso se recuse, o motorista é autuado com multa de R$ 2.934,70, tem a habilitação suspensa por 1 ano e, ainda, pode ter o seu veículo retido se não houver outro condutor habilitado e em condições de conduzi-lo.

Coordenada pela Secretaria de Governo e Relações Institucionais, a Operação Lei Seca iniciou suas atividades em 19 de março de 2009, reduzindo o índice de acidente de trânsito em 29% ao longo desses mais de 10 anos.

error: Conteúdo protegido!