Maricá FC Sub-20 sobe para série B do Carioca


A equipe de guerreiros do Maricá Futebol Clube – sub20 foi bicampeã do Campeonato Carioca da série B2 (terceira divisão) e ano que vem disputa a tão sonhada série B1 do campeonato.

O título foi conquistado em cima do Mageense no jogo que aconteceu no último domingo, 6, no campo do Esporte Clube Maricá, no Centro. Assim como no time principal, as divisões de base do Maricá recebem o apoio da Prefeitura de Maricá, através da Secretaria de Esporte e Lazer.

Mesmo com o empate em 0 a 0, o time conquistou o título, pois no jogo de ida havia ganhado o Mageense com o placar de 3 a 1.

Após os jogadores erguerem a taça ainda dentro de campo, o secretário de Esporte e Lazer, Felipe Bittencourt, agradeceu pelo trabalho desempenhado pela equipe. “É muito importante para nós em ter essa garotada representando a nossa cidade, enchendo de orgulho os nossos projetos e alcançando o nosso objetivo em pouco tempo. Quero parabenizar toda a comissão técnica que se empenhou”, disse.

Técnico da equipe, Nildo Jorge, expressou a alegria de ser campeão depois de perder nos pênaltis o título do ano passado.

“Essa molecada é merecedora de tudo. Dando apoio à base, o clube com certeza vai chegar muito longe. Em breve, Maricá vai estar no cenário estadual e depois nacional”, comentou. “O clube só tem dois anos e meio e conseguiu dois campeonatos. Para a cidade é muito bom, e ver o povo torcer foi bom demais. Fazia tempo que não víamos aqui no município a torcida junta. Se Deus quiser vamos fazer história no B1”, finalizou.

Meia-esquerda do maricaense, Maicon Nascimento (Maiquinho) fez uma análise do jogo. “A equipe está de parabéns, pois fizemos o resultado no primeiro jogo. Aqui foi mais pegado, mas conseguimos sair com o empate”, avaliou.

Mais cedo, o sub-15 também fez bonito em campo, pois pela primeira vez chegou à semifinal do campeonato ganhando a equipe do Olaria nos pênaltis.

“As categorias sub-15, sub-17 e sub-20 são em parceria com o nosso projeto Maricá+Esporte e estamos sempre acompanhando e torcendo pela nossa garotada. Foi um jogo disputado, mas os meninos fizeram história”, afirmou Felipe Bittencourt.

Torcendo na beira do campo, pai do jogador da sub-15, o comerciante Bebeto Amaral, de 45 anos, falou sobre a emoção de ter seu filho participando do projeto. “Vemos o quanto é importante esse incentivo da prefeitura e que falta em outras prefeituras. Que isso sirva de exemplo para todo o Estado do Rio de Janeiro. É legal ver os meninos disciplinados, querendo se esforçar cada vez mais e participar dos treinamentos e dos jogos bem de saúde”, contou.

error: Conteúdo protegido!