Maricá: Lixo na praia causa prejuízos ambientais, econômicos e aos banhistas


Foto: Fabrício Faquéco (@faquecocorrea)


Maricá possui um litoral com extensão de 32.887 metros aproximadamente, desde o início da Praia de Itaipuaçu, próximo à Pedra do Elefante, até a Serra de Jaconé, na Praia de Jaconé, ou seja, muitas praias para poder curtir o verão. O que se deve ter para curtir as maravilhas de Maricá é a consciência da preservação ambiental.

É preciso ter responsabilidade sobre o descarte adequado do lixo, para que não contamine a areia e a água do mar. De acordo com um estudo realizado pela Universidade de Queensland, na Austrália, a contaminação dos oceanos, principalmente por plásticos, é responsável pela morte de cerca de 100 mil animais todos os anos.

A atenção aumenta principalmente no começo de ano e verão, onde as pessoas festejam e migram para as praias para aproveitar as férias, mas nem sempre da forma correta.

Além de impactar as espécies marinhas, os resíduos descartados nas praias também interferem na vida dos banhistas, que podem se ferir com determinados objetos. A sujeira também reduz a balneabilidade, que é o índice usado para verificar a qualidade da água destinada à recreação. Desse modo, ela se torna imprópria para o banho, podendo gerar contaminação por doenças de pele.

Os prejuízos afetam também a economia do município, que precisa aumentar as despesas com a limpeza das praias e perdem a receita com o turismo.

Ações de limpeza de orlas são realizadas diariamente pela Autarquia de Serviços de Obras (SOMAR) da Prefeitura de Maricá mas a população deve ter consciência, jogar o lixo na lixeira e se não tiver uma próxima do local onde está, coloca-lo em uma sacola plástica e levar para a casa.

Seja consciente e aproveite Maricá com praias sempre bonitas e limpas!

error: Conteúdo protegido!