Maricá será a casa do handball de praia em julho


Maricá será a capital nacional do beach handball em julho. Uma mega estrutura vai receber sete seleções sul-americanas femininas e masculinas para as disputas na praia da Barra de Maricá entre os dias 11 e 14 de julho. São elas: Brasil, Paraguai, Uruguai, Venezuela, Chile, Argentina e Equador.

Esse é o I Campeonato Sul-Centro Americano de Beach Handball realizado pela Novo Beach Handball Brasil e pela Prefeitura de Maricá, através da Secretaria de Esporte e Lazer com o apoio da Confederação Brasileira de Handebol. O torneio tem entrada gratuita e a equipe campeã vai garantir uma vaga não só para o I Jogos Mundiais de Praia deste ano, como também para o Campeonato Mundial de 2020.

A seleção brasileira desembarca em Maricá às 20h deste sábado (29/06). A partir de então, começa sua preparação no Centro de Treinamento (CT) que vai ser instalado na praia de Ponta Negra. No local, também estão programadas algumas atividades voltadas para os alunos e os profissionais de educação física da cidade.

No dia 01/07 (segunda-feira), os atletas ministram uma oficina entre 10h30 e 15h para os alunos da rede municipal. No dia 06/07 (sábado), é a vez dos profissionais se capacitarem em beach handball. A oportunidade é exclusiva para eles e acontece das 10h30 às 14h. Entre os dias 02 e 05/07 das 9h30 às 11h30, atletas visitarão escolas municipais. As unidades ainda não foram divulgadas.

No domingo, dia 07/07, as seleções do Brasil, Chile, Equador recebem uma seleção carioca convidada para um amistoso, prometendo atrair os olhares de moradores e visitantes para a praia de Itaipuaçu.

Em 09/07, já está confirmada uma oficina para os alunos dos projetos sócio desportivos, também ministrada pelos atletas no CT de Ponta Negra a partir das 14h30.

O Novo Beach Handball Brasil (NBHB) é uma associação de clubes que surgiu após um movimento de atletas da seleção brasileira de handebol de areia. Em 2017 e 2018, os jogadores precisaram fazer uma vaquinha em busca de recursos para participar de torneios internacionais, como o Mundial de Kazan, na Rússia. O sacrifício valeu à pena, já que o time masculino conquistou a medalha de ouro e o feminino a medalha de bronze.

Hoje a modalidade está sendo gerida com mais profissionalismo e transparência. A nova gestão da Confederação Brasileira de Handball e o Novo Beach Handball Brasil se uniram para elevar o esporte ao patamar que merece

error: Conteúdo protegido!