Maricá terá processo seletivo para o Corpo de Bombeiros


A aprovação de uma lei federal poderá abrir 40 vagas por ano para militares temporários do Corpo de Bombeiros de Maricá. A informação foi passada pelo comandante geral do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro, coronel Roberto Robadey, na manhã desta quinta-feira, durante visita ao município.

Robadey explicou que uma das maiores dificuldades da corporação está no pessoal. Por ano a corporação perde 1.200 militares, uma média de 100 combatentes por mês.

“Estamos trabalhando para resolver nosso grande gargalo, que é de pessoal. A intervenção federal terminou em dezembro, mas deixou um planejamento estratégico, entre as ações está adoção de bombeiros militares temporários. Pegaremos jovens aqui de Maricá que não prestam serviço militar e poderão, voluntariamente se inscrever, passar por um processo seletivo simplificado e se tornar bombeiros militares por até oito anos”, disse.

Mas, o comandante geral também fez um alerta. Segundo ele, caso não seja aprovada a lei federal que possibilitará o aumento do efetivo a redução será necessária.

“Se nada acontecer até o meio do ano, vamos ter que reduzir, destacamento vai virar posto, grupamento será destacamento, vai ser a solução que iremos encontrar até que possamos voltar a respirar e crescer”, alertou.

Futuro profissional – Ainda de acordo com o coronel, os jovens que forem selecionados terão mais chances no mercado de trabalho após a conclusão do período de voluntariado.

“Poderemos ter sim guarda-vidas temporários que após o término do período de voluntariado sejam guardiões de piscinas. Bombeiros poderão ser profissionais civis, uma série de valências que aprenderão em nossos quarteis. Vamos abrir estas vagas, já temos recursos para que aprovando a lei federal, iniciando o processo seletivo, tenhamos condições de absorver cinco mil jovens em todo estado e resolver nosso problema de pessoal, voltando assim a crescer”.

REPORTAGEM RELACIONADA

error: Conteúdo protegido!