Maricá: Violência sexual contra a mulher aumenta na cidade e casos de estupro passam a ser frequentes


Foto/Reprodução: Internet

Por Thayná Silva – A proporção de crimes mais graves contra a mulher vem crescendo de forma assustadora pela cidade de Maricá. Casos de estupro estão chamando a atenção das autoridades de segurança pública e principalmente da população maricaense.  

O site do LSM já noticiou dois casos recentes na cidade, um deles, aconteceu no último sábado, 17, no bairro de Itaocaia Valley, em Itaipuaçu, quando uma jovem de 19 anos foi perseguida após descer do ônibus e acabou sendo violentada.  

De acordo com dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) em fevereiro deste ano, o número de casos de estupro em todo Estado do Rio de Janeiro teve um aumento de 17%.

Em Maricá, houve um aumento de 7% nos casos de violência sexual contra a mulher. De janeiro a junho deste ano, 29 casos foram registrados na Delegacia de Maricá, o que acabou ultrapassando o número de casos do ano passado, onde foram contabilizados 27 casos.  

Durante o ano de 2019, 65 casos de estupro foram apontados na cidade. Já em 2020, os casos ainda continuavam chamando a atenção dos órgãos de segurança pública, porém, com um número reduzido, totalizando 55 casos no município. 

O que vem chamando a atenção e assustando as autoridades em Maricá durante o ano de 2021, é justamente o número de casos que estão acontecendo em um curto período de tempo. Só neste mês de junho, dois casos de violência sexual aconteceram e em ambos com duas vítimas menores de idade. 

Casos recentes de julgamento de estupro, como o da Mariana Ferrer, aumentaram a visibilidade do tema e o posicionamento das pessoas ao cobrar por justiça. Nesse caso, a influenciadora digital acabou tendo o seu abusador absolvido por falta de provas de que o mesmo teve a intenção de cometer o ato.

Os casos recentes em Maricá estão viralizando nas redes sociais e diversas jovens estão se manifestando sobre os casos e pedem para que os abusadores sejam punidos e ambos paguem pelo crime.

Para denunciar um caso de assédio sexual, ligue para o Disque-Mulher (180) ou para a Polícia Militar (190). Não se cale!

error: Conteúdo protegido!