10/05/2016 às 19h26min - Atualizada em 11/05/2016 às 15h50min

Prefeitura distribui revistas para culpar Pezão pela enchente de Fevereiro em Maricá

CAPA QUARTA FEIRA

CAPA QUARTA FEIRA

Por Gilson Barcellos - Meses após as enchentes de 29 de fevereiro que deixaram centenas de famílias desabrigadas,  a Prefeitura de Maricá está distribuindo uma revista acusando o Governo do Estado pelos estragos causados pelas chuvas em vários bairros da cidade. Procurados pelo DIÁRIO DO LESTE, até o fechamento desta reportagem, a Secretaria de Estado do Ambiente e o Instituto Estadual do Ambiente não se pronunciaram. Vítimas das enchentes elogiam as ações da prefeitura, outras criticam e dizem que esta revista não passa de propaganda eleitoral. A revista “Enchente em Maricá: A PREFEITURA AGIU” tem 18 páginas a cores com papel de qualidade, mas omite quem é o jornalista responsável, não dá crédito aos redatores, repórteres e diagramadores, gráfica onde foi impressa e qual a tiragem. O foco é culpar o governo estadual pelas inundações de várias localidades do município. A revista com a cor vermelha predominando,  começa destacando que a enchente histórica que afetou Maricá e outros municípios no dia 29 de fevereiro deste ano, desalojando centenas de famílias, tem nome, sobrenome e identidade. O nome é omissão, o sobrenome jogo político e a identidade do Instituto Estadual do Ambiente, estampada com a foto do presidente e do secretário estadual. A Prefeitura de Maricá culpa esses órgãos estaduais de se omitirem no preparo do sistema natural de drenagem (córregos, rios e canais) para o período das chuvas. “As fortes chuvas combinadas a canais e rios sem a dragagem solicitada causaram alagamentos de ruas, imóveis e transbordamento de 12 rios, principalmente em Itaipuaçu, Bambuí, Centro e São José do Imbassaí”. Nas páginas seguintes, textos destacam acusações contra o governo de Luiz Fernando Pezão, como: “Maricá recebeu documento informando que o Estado não faria as obras e proibindo a Prefeitura de fazer”, e “Dia 29/02, a Prefeitura, por conta própria, abriu o canal da Barra”. A publicação dá destaque para as ações sociais da prefeitura no Conjunto Residencial Carlos Marighela de Itaipuaçu, do programa federal Minha Casa, Minha Vida que foi o mais atingido. Lá moram cerca de 1.500 famílias (6 mil pessoas) e muitos elogiam a atuação dos agentes públicos municipais, como a doméstica Laís de Souza Mello, casada e mãe de quatro filhos menores. “Não tenho do que reclamar. Tive ajuda da prefeitura”. Porém, outros moradores criticaram a Prefeitura de Maricá: “No dia da enchente o prefeito não apareceu aqui dando desculpa de que estava abrindo o canal da Barra. Essa revista é propaganda eleitoral”. Temendo represálias o morador pediu para não ser identificado.
foto reprodução

foto reprodução

foto reprodução (2)

foto reprodução (2)


Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp