25/06/2016 às 17h25min - Atualizada em 25/06/2016 às 17h51min

Festival da Utopia levanta negócios em Maricá na baixa temporada, diz Prefeitura

Segundo a Prefeitura, alguns estabelecimentos registram movimento maior por causa do evento. Pousadas têm 100% de ocupação e visitantes alugam quartos em residências.
bpceaz93gpis

bpceaz93gpis

Festas e eventos públicos sempre trazem uma boa perspectiva de bons negócios para o comércio de qualquer cidade, e em Maricá não é diferente. O Festival da Utopia, no entanto, trouxe um alento para boa parte do comércio e a rede de hospedagem local em meio a uma crise econômica e numa época de baixa temporada. O diferencial desta vez, segundo os empresários, foi a abrangência deste evento, que tem tendas no Centro e na Barra. “Geralmente as festas acontecem no Centro da cidade. Agora que trouxeram para a Barra, trouxeram também para nós que estamos no caminho”, explica Daniel Costa da Silva, dono do restaurante Caranguejo e Cia e do quiosque Garota de Maricá, ambos no Boqueirão. Segundo ele, o movimento aumentou bastante desde o início do festival e deve atingir um pico de 50% até domingo, quando termina. “Isso é melhor do que temos em eventos como o aniversário da cidade e a festa da padroeira, em agosto”, avaliou ele. Na Pousada Sollares, que fica em frente, o percentual já chegou a este número na ocupação. Segundo a empresária Roseli Galhardo, conhecida como ‘Mamusca’, não apenas a dela, mas outras pousadas da região central atingiram 100% de ocupação. “A cidade está superlotada, eu mesma estou com fila de espera aqui”, disse ela, que recebe hóspedes de várias partes do país e ainda alguns dos artistas que se apresentam no festival, como a cantora Beth Carvalho. A ocupação é tão grande que algumas casas da região estão alugando quartos para os visitantes. Até mesmo uma camareira da Sollares está faturando com o evento. “Até domingo faturo quase o valor do meu aluguel, estou achando ótimo”, comemora Jorlene da Silva, que disponibilizou um quarto da casa onde mora com a mãe para dois professores de Cabo Frio (na Região dos Lagos), pelo mesmo valor da pousada onde trabalha: R$ 75 a diária por pessoa. Para a empresaria Debora Costa, o festival está sendo realmente "utópico", um sonho realizado, com expectativa superada. A Pousada dos Sonhos, administrada por ela no Centro, está lotada: 22 pessoas se dividem no espaço com 6 quartos. Palestrantes do evento, como Fernanda Isabel e Sergio de Carvalho também passaram por lá. "Não acreditava na resposta positiva em tão pouco tempo. Só tenho a agradecer ao prefeito por abrir as portas para esse evento, que apesar de uma politica falida no estado, Maricá tem a politica diferenciada", disse a proprietária da pousada. Na Barra de Maricá, onde foi montado o grande acampamento para quem participa do evento, os efeitos estão sendo mais modestos no pequeno comércio local. “Sei que tem almoço para eles lá dentro. Por isso, eles comprar aqui o que geralmente não tem lá dentro, como bebidas e cigarro”, conta Talita Pardim, atendente do Marcado H, na Avenida João Saldanha. Na Associação Comercial de Maricá, ainda não há um sinal de melhora efetiva por parte dos comerciantes, o que só deverá ser apurado ao final do festival. “Ainda é cedo para falamos em um possível aumento, mas é certo que haverá um impacto quando o festival terminar. É o que vamos levantar com nossos associados na semana que vem”, projeto Delfim Moreira, diretor de Relações Públicas da entidade.
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp