07/08/2016 às 18h56min - Atualizada em 08/08/2016 às 22h23min

Mulher acusa Prefeito de Maricá de agressão

e0e58cfb-98e2-4f24-9485-63ca8668e599

e0e58cfb-98e2-4f24-9485-63ca8668e599

Por Mauro Luis- Uma mulher de 44 anos está acusando o Prefeito de Maricá e Presidente do PT-RJ, Washington Luis Cardoso Siqueira, o Quaquá, de agressão. O caso foi registrado na Delegacia de Maricá, que investiga o caso. De acordo com o registro de ocorrência, a moradora de Inoã, que não teve o nome revelado, compareceu na Prefeitura de Maricá no último dia 02 de agosto e conseguiu agendar atendimento com o Prefeito para o último sábado, 06, e que ela seria atendida por ordem de chegada após às 10 horas da manhã. A mulher contou que o atendimento estaria relacionado a atual campanha política para a Prefeitura da Cidade e que já havia recebido a quantia de R$ 1.000,00 (Mil Reais) como adiantamento de trabalhos. Ela disse ainda no registro de ocorrência que o atendimento deste sábado seria para pagamento do restante apalavrado e combinar o método da campanha. Ela contou que chegou por volta de 8 horas da manhã e ficou aguardando o atendimento, até que às 13 horas foi informada através de um assessor do Prefeito que ele só atenderia os pré-candidatos e não mais o restante do pessoal que ali estava. A mulher continuou no local para ver se realmente seria atendida até que às 14h40 se deslocou até a porta de acesso ao gabinete do Prefeito quando se deparou com o mesmo. Quaquá, segundo a mulher, entrou em um automóvel e ela perguntou: "Quando você vai me atender?", Quaquá respondeu: "Só amanhã!". Quaquá teria perguntado para a mulher qual seria o problema dela e ela respondeu que ele havia lhe prometido ajuda particular através da Prefeitura. Neste momento, segundo a mulher, ela estava com o braço direito dentro da janela do lado do carona do veículo quando o Prefeito teria a empurrado com a porta gritando: "Sai Daqui". Logo em seguida, a mulher disparou: "Vocês estão me enganando!". Momentos depois, de acordo com ela, o Prefeito fechou o vidro da porta com o braço direito dela ainda dentro do veículo. O motorista, segundo ela, deu partida no carro e acabou derrubando-a no chão. A mulher contou que o motorista percebeu que o braço dela estava preso na janela e parou o veículo. Quaquá teria aberto o vidro liberando o braço da mulher e saiu do local. A mulher registrou o caso na Delegacia de Maricá (82ª DP) sob o número 082.04012/2016 e também realizou o exame de corpo delito no Instituto Médico Legal (IML) do Barreto, em Niterói. O Delegado Titular da Delegacia de Maricá, Dr. Júlio César Mulatinho, titular da Unidade Policial de Maricá, vai intimar o Prefeito para depoimento nos próximos dias. Contraponto- O Lei Seca Maricá entrou em contato com o Prefeito de Maricá, Washington Quaquá, que negou a versão apresentada pela mulher no depoimento. "- Mentira e canalhice tem limites. Isso é pau mandado da oposição que se utiliza de expedientes baixos. Não houve qualquer agressão. Eu não prometi, nem combinei nada com essa mulher. Não foi a primeira vez que fizeram isso e nem será a última," disse Quaquá. O Prefeito comentou ainda que o caso pode ter sido uma manobra da oposição e afirmou que não há trabalho ou dívida com a mulher. "- Eu atendo o povo em casa e na Prefeitura sempre, nunca me furto a atender. Essa mulher se jogou na porta do carro quando eu estava saindo já com intensão política. Ninguém é idiota. São os métodos de uma oposição ligada à bandidos e as milícias. Quem financia a oposição é uma quadrilha de agiotas e isso é público e está em interdito judicial. Volto a dizer que não houve agressão e não há qualquer trabalho ou dívida com essa mulher", finalizou o Prefeito.
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp