22/09/2016 às 11h13min - Atualizada em 22/09/2016 às 11h13min

Área degradada recebe mudas nativas da Mata Atlântica em Maricá

screenshot_2

screenshot_2

No dia Nacional da Árvore (21/09), uma área degradada de aproximadamente 1500 metros quadrados na localidade de Ponte Preta, em Cordeirinho, recebeu mais mudas de um total 800 árvores nativas de Mata Atlântica. A iniciativa faz parte do projeto Maricá + Verde, desenvolvido pela Prefeitura de Maricá através da Secretaria Adjunta de Meio Ambiente, que recuperou parte da faixa marginal de proteção que estava sendo usada como lixão clandestino. O plantio contou com a participação de alunos da Escola Municipal Lúcio Thomé Guerra Feteira, de uma equipe do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e de representantes do Clube Niteroiense de Montanhismo (CNM). Segundo o secretário Adjunto de Meio Ambiente, Guilherme Mota, a ação serve para mostrar aos moradores a importância da preservação ambiental. “Este espaço estava sendo utilizado por moradores de região e do entorno, além de veranistas, como depósito de lixo. Nosso trabalho é recuperar áreas como esta e mostrar para a população a série de benefícios que a preservação proporciona”, comentou. A área foi cercada e recebeu placas de orientação quanto à proibição do despejo de lixo. Antes do plantio, as crianças, que serão as multiplicadoras da experiência na escola, receberam orientações sobre a preservação ambiental. Aos 13 anos de idade, o estudante Gustavo Mello Sodré, conhecia bem o espaço agora recuperado. Morador em Bambuí, passava com frequência em frente ao local, que ganhou vida com as mudas. “Na escola plantaram árvores também. Isso é importante para a natureza”, disse. Gustavo foi um dos que, após a ação, receberam um certificado de participação no plantio. Geógrafa do Inea e uma das articuladoras do evento, Amanda Rodrigues apontou que a ação é fundamental não só para coibir não só o depósito clandestino de lixo, mas até mesmo a ocupação ilegal. “Não são todas as cidades que tem essa preocupação. A participação das crianças é muito interessante para criar a preocupação ambiental. Todos ganham com esta ação”, ressaltou, ao lado da representante do CNM, Eny Hertz. Entre as mudas plantadas estão Sibipiruna (Caesalpinia pluviosa), Grumixameira (Eugenia brasiliensis), e a Paineira Rosa (Chorisia speciosa Bombacaceae). A secretaria Adjunta de Meio Ambiente realizou, também na parte da manhã, na Praça Orlando de Barros Pimentel, mais uma distribuição de mudas de árvores nativas da Mata Atlântica. Foram doadas aproximadamente 70 mudas, entre elas Quaresmeira (Tibouchina granulosa), Ingá Feijão (Inga marginata), Pau Ferro (Caesalpinia ferrea), e Oiti (Licania tomentosa). A estudante Mikaelly Vitória dos Santos, 16 anos, levou para casa, de uma só vez, três mudas. Quaresmeira, Oiti e Pau Ferro foram às plantas escolhidas para arborizar o terreno da casa no bairro Piquete, onde ela mora. “Tenho espaço e quero ajudar o meio ambiente. Vou fazer até um “cercadinho” para proteger as mudas”, destacou.
Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp