18/12/2016 às 12h01min - Atualizada em 18/12/2016 às 12h01min

Moradores de Maricá se formam no curso de Jardineiro Sustentável

15420913_1183332148416356_4950641893902868415_n

15420913_1183332148416356_4950641893902868415_n

Foi realizada na sexta­-feira (16/12) a última aula do curso de jardineiro sustentável, uma parceria entre a Secretaria Adjunta de Meio Ambiente de Maricá, o Instituto Alphaville e o Instituto Nós, que idealizou a qualificação ocorrida em sua sede no loteamento Bosque Fundo, em Inoã. No total, foram 17 dias de aulas onde foram ministradas disciplinas como Jardinagem, Montagem de Viveiros, Horticultura e Fruticultura. Na atividade de encerramento, os 38 alunos do curso participaram da montagem de uma horta em formato de mandala, plantada numa área de 3.650 metros quadrados que fica em frente à sede, entre a Avenida do Contorno e a Rua Seis. O local de plantio foi tratado com feno e serragem, recebendo mudas de diferentes tipos de legumes e verduras, que foram cuidadas em um viveiro montado no meio do espaço. Assim como as aulas, o trabalho é feito de forma comunitária, o que foi apontado como o grande diferencial por alguns dos alunos. “O mais legal aqui é que está todo mundo unido, a comunicação e a interação entre as pessoas foi o melhor”, pontuou Denise Ribeiro da Silva, de 46 anos, moradora de Itaipuaçu, mesmo bairro do estudante de Engenharia Ambiental Alexander Lucena. Para ele, o projeto é um exemplo para a cidade e a região. “A conscientização que tivemos aqui foi o mais bacana desse aprendizado. É algo que precisa chegar a outras partes da cidade”, avaliou. Tinha gente também que melhorou a saúde através do curso. “Minha hipertensão melhorou muito, estou me sentindo bem melhor hoje, mais disposta”, afirmou a dona de casa Solange Vieira Machado, de 62 anos, que mora no Residencial Carlos Alberto Soares de Freitas (condomínio do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ de Inoã) e diz que ia caminhando até o local do curso. Para Maria Inês Rodrigues, que tem 70 anos e mora no Bosque Fundo, as aulas foram além de aprender sobre a composição de adubos, por exemplo. “Isso é algo que valoriza nossa comunidade. Chamei os vizinhos para virem conhecer e muitos ficaram encantados”, conta ela. Interação com a comunidade e inserção no mercado O curso, cujos certificados foram entregues no sábado (17/12), foi coordenado pelo fundador do Instituto Nós, Tom Lima. Formado em Permacultura (uma visão de caráter holístico da agricultura), ele explica que as aulas tiveram foco no impacto positivo sobre o solo. “Sempre haverá um impacto em maior ou menos medida, a diferença é o tipo de impacto que o solo vai sofrer. Nosso curso teve essa pegada mais ecológica mesmo, dentro de um modelo de sistema agroflorestal. Muitas vezes a pessoa se preocupa em como a planta vai crescer, mas esquece de como o solo vai ficar”, esclareceu Tom, ao lado da pedagoga e também coordenadora Nayana Matheus. “Queremos que a praça se torne um espaço de interação da comunidade, em que ela possa se reconectar com a natureza”, apontou ela. Em sua passagem pelo local, o secretário adjunto de Meio Ambiente, Guilherme Mota, reuniu os alunos para contar uma novidade: todos serão cadastrados através do envio de currículos para recolocação no mercado de trabalho. A ideia é aproveitar a qualificação dos alunos em projetos do órgão como o programa Maricá+Verde (que produz e doa mudas de espécies da mata atlântica) e também como coletores de sementes. “Muitos aqui são pessoas de idade e que podem agregar uma experiência profissional somada a esta qualificação. Queremos levar esse curso a outras partes do município através de outras parcerias, para expandir também essa inserção no mercado”, projetou o secretário.
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp