15/02/2017 às 08h42min - Atualizada em 15/02/2017 às 08h42min

Vereadores Ricardinho Netuno e Filippe Poubel seguem fiscalizando a saúde de Maricá

[gallery columns="1" link="none" size="full" ids="112175"] Os vereadores Ricardinho Netuno (PEN) e Filippe Poubel (DEM) seguem cumprindo seu papel e fiscalizando a saúde de Maricá. Eles estiveram, na tarde de ontem, na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Inoã, verificando as necessidades do local. Os problemas encontrados na unidade, que é de gestão da Secretaria Municipal de Saúde, não foram poucos. A UPA funciona 24h com plantões de 12h, diurno e noturno, com clínico geral, odontologia e pediatria. Entretanto, segundo os vereadores, a realidade nem sempre funciona assim. No turno da manhã de ontem, os vereadores não encontraram nenhum pediatra, por exemplo. Segundo a folha de escala obtida por eles, deveria ter duas pediatras na unidade naquele horário, mas as médicas faltaram. Eles acompanharam diversas mães voltando para casa com suas crianças sem o atendimento básico. “Minha filha está desde ontem a noite com febre e falta de ar. Agora cheguei aqui e no acolhimento me mandaram para o hospital do Centro, porque não tem pediatra para atender a gente”, se queixou a dona de casa Kelly Santana, de 30 anos. Ainda que tivesse pediatria, mas o caso da filha de Kelly fosse grave e ela precisasse ser transferida, essa transferência teria que ser feita de carro. Isso porque segundo os vereadores, a UPA está sem ambulância. Tirando o atendimento, que é sempre elogiado pelos pacientes, os problemas são diversos. De acordo com funcionários que não quiseram se identificar, diversos locais da unidade estão sem ar condicionado, causando muitos transtornos. A odontologia funciona de forma precária, com a cadeira de atendimento quebrada. Os dentistas estão sem curativos e desde novembro sem anestesia, impossibilitados até mesmo do atendimento básico. Das três especialidades oferecidas na unidade apenas o clinico geral funcionava normalmente. O chão da upa também apodreceu em algumas partes devido à falta de fundação e estrutura. “Quando você chega na UPA existe uma placa de obras dizendo que está sendo feito a manutenção preventiva e corretiva das unidades de saúde, mas ao entrar se depara com uma unidade com diversos problemas. Até mesmo o gerador está a ponto de quebrar por falta de manutenção, segundo fomos informados”, disse o vereador Ricardinho Netuno, se referindo a placa informativa da secretaria adjunta de saúde. Conforme consta na placa, a verba destinada para esses “reparos” é de quase 5,3 milhões. Os outros problemas são os mesmos dos postos de saúde visitados pelo vereador Ricardinho. Falta material de limpeza, higiene e sacolas de lixo. Assim como em outras unidades municipais de saúde, faltam luvas para procedimento, aparelhos de aferir pressão e pote de urina. Nem mesmo hemograma a UPA tem feito, porque desde o ano passado faltam reagentes e potes de coleta de sangue. Isso atrapalha o diagnóstico médico e por consequência piora o atendimento à população. [gallery columns="2" link="file" ids="112177,112178,112179"]
Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp