21/02/2017 às 20h32min - Atualizada em 21/02/2017 às 21h28min

Deputada Estadual de Maricá passa mal durante sessão na Alerj

A Deputada Estadual Rosangela Zeidan (PT), esposa do ex-prefeito de Maricá, Washington Quaquá, passou mal durante as discussões da venda da CEDAE na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Em seu facebook, Zeidan falou sobre o problema de pressão que sofreu. " Mais um dia com oscilação de pressão. De repente, quando todos votavam os destaques eu senti que estava fora do ar. Não consegui levantar o braço. Fui para a sala ao lado do plenário e chamei os médicos. Perdi duas votações de destaque mas, como no dia anterior, nada que pudesse mudar substancialmente o resultado final pro governo que tem maioria", contou Zeidan. Em duas horas de sessão, o plenário da Alerj aprovou nesta terça-feira (21) 4 emendas e parte de uma - todas tratando de dois temas - do total de 16 alterações analisadas para o projeto que autoriza a privatização da Cedae colocadas em votação nesta terça-feira (21). Desse total, oito foram rejeitadas e três foram totalmente retiradas. As primeiras emendas aprovadas defendiam que os R$ 3,5 bilhões do empréstimo que teria as ações da Cedae como garantia fossem destinados exclusivamente ao pagamento de funcionários do estado (ativos, inativos e pensionistas). Esta emenda aglutinou projetos do PT e do PDT. Tarifa Social O plenário também aprovou emedas da deputada Martha Rocha (PDT) , da bancada do Psol e um inciso de uma emenda proposta pelo PSDB. Todas elas defendiam a manutenção da tarifa social, que determina preços mais baratos para abastecimento e esgoto em áreas carentes. Após a votação desta terça, o líder do governo, deputado Edson Albertassi (PMDB), disse que o resultado foi positivo e acredita que em 30 dias o Congresso Nacional pode votar o Plano de Recuperação Fiscal do Estado do Rio. "Como dizia Betinho, quem tem fome, tem pressa. E o Rio tem pressa", disse. Do lado de fora da casa, houve manifestação de funcionários da Cedae, de outros servidores, além de militantes de partidos e de ativistas. A Rua Primeiro de Março, na frente da Alerj, foi fechada no início da tarde e reaberta às 17h45. Até o horário, não houve registro de confrontos - cenário diferente do dia anterior, quando 18 manifestantes foram presos, na frente da sede da Cedae.
Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp