31/03/2017 às 15h36min - Atualizada em 01/04/2017 às 17h24min

Venezuelano que viaja a América Latina de bicicleta passa por Maricá

[gallery columns="1" link="none" size="full" ids="116528"] Ricardo José Guillen Rincones, de 41 anos, batizou a aventura que estabeleceu em 2005 como 'Caminhos das Américas'. Nesse período, esteve em treze países, gastou sete bicicletas, perdeu as contas de quantos pneus deixou pela Estrada, andou mais de 70 mil quilômetros, sob sol, sob chuva, trovoada e até neve, mas também passou maus pedaços quando pegou malária e dengue. Seu objetivo é conhecer os costumes, a cultura, religião, pessoas e locais históricos e paisagens das nações latinas. Para se manter, o venezuelano produz artesanato e vende junto com as fotos que faz dos lugares por onde passa. Ele carrega poucas peças de roupas, objetos de higiene pessoal, material para manutenção da bicicleta e uma barraca. Dorme em postos de gasolina, e em quarteis dos Bombeiros, também em casas e fazendas que o acolhem. Almoça, ás vezes, em restaurantes, porém, sempre conta com a solidariedade das pessoas. O ciclista sempre teve espírito aventureiro e começou a andar de bicicleta ao se inspirar num casal alemão que viu passar na cidade, Bejuma, no Estado de Carabobo. Na época, ele era mochileiro. "Viajava de ônibus e de carona", disse. Em Maricá, Ricardo passou pelo DPO de Itaipuaçu, onde foi acolhido pelos Policiais Militares de plantão que lhe forneceram alimentação. Ele ficou encantando com as Praias da nossa região, principalmente com a vista da Pedra do Elefante. Há 12 anos, ele percorre de bicicleta, a América Latina. Ricardo conheceu muita gente disposta a ajuda-lo nessa empreitada. Na Cidade de Lajes, no Sul do Brasil, um empresário lhe deu bicicleta aro 26 com 21 marchas, capacete e material para reparos na bicicleta, o que significa economia de energia, pois estava usando uma que nem marcha tinha. "- Eu passei por todos os tipos de clima, floresta amazônica, desertos e agora eu estou gostando destas belas paisagens do Rio de Janeiro. Venho me aventurando com a intenção de aprender sobre as culturas, costumes, ambientes e compartilhar com as pessoas de passagem ", disse ele. O aventureiro agradece a todos que o ajudam ao longo do caminho como: bombeiros, policiais e todo o povo das cidades por onde passa e passou. Ele saiu de Maricá e seguiu sua jornada para a Região dos Lagos.
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp