05/06/2017 às 17h11min - Atualizada em 05/06/2017 às 17h11min

Exames descartam casos de meningite em Maricá, diz nota da Prefeitura

[gallery columns="1" ids="122828"] A Coordenação de Comunicação da Prefeitura de Maricá emitiu uma nota nesta segunda-feira, dia 05, dizendo que os três casos suspeitos de meningite de Maricá foram descartados pelo Laboratório Central de Saúde Pública Noel Nutels (Lacen) e pelo Instituto Estadual de Infectologia São Sebastião. Um menino de 4 anos e um homem de 41 anos (divulgamos erradamente a idade de 29 anos) morreram, e uma menina de 11 meses (liberada) deram entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Inoã em maio com sintomas da doença, mas os exames específicos deram negativo, segundo a nota da Prefeitura. Segundo a Prefeitura, no caso da criança de 4 anos, a declaração de óbito especificada como “sepse – meningite bacteriana” foi baseada nos sintomas apresentados durante o diagnóstico. “A sepse é uma infecção da corrente sanguínea que espalha rapidamente pelo corpo. Na UPA, o exame de sangue do menino foi de 17 mil leucócitos, quando o máximo permitido são 11 mil. Isso significa uma infecção, mas não quer dizer que seja meningite, o que foi completamente descartado pelo Lacen, que é o laboratório do estado responsável por esses exames”, explicou a secretária de Saúde, Simone Costa. Como existia o risco da doença, a Vigilância Epidemiológica da Saúde fez toda ação preventiva de bloqueio, conforme o protocolo do Ministério da Saúde para casos desta natureza, com medicação dos alunos e professores da turma em que o menino estudava na Escola Municipal Valéria Passos (Itaipuaçu), além dos familiares que tinham contato com a criança. Ainda segundo a Prefeitura, o outro caso com morte por suspeita da doença, também descartado, foi de um homem, que morava em Itaipuaçu, de 41 anos. O paciente, de acordo com a Prefeitura, foi diagnosticado na UPA de Inoã no dia 30/05 com infecção no ouvido e pneumonia, e transferido no mesmo dia à noite para o Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, onde o quadro clínico se agravou para a septicemia (infecção na corrente sanguínea que atinge pulmões ou pele e se espalha rapidamente pelo corpo), vindo a falecer dois dias depois, no dia 01/06. “Nesse caso, foi uma infecção no ouvido e não por uma bactéria. Havia o risco de a infecção ter atingido a meninge por ser uma próxima, o que também foi descartado pelo Lacen”, acrescentou Simone. A Prefeitura informou que para evitar possíveis casos da doença, a Secretaria Municipal de Saúde vai aderir a campanha estadual de vacinação das crianças de 9 a 14 anos (esse público é mais suscetível ao vírus) contra meningite junto à campanha do HPV (serão imunizados ambos os sexos). A vacinação será contra o HPV, mas as crianças e adolescentes que ainda não estiverem vacinados contra meningite receberão essas doses na campanha. A imunização, prevista para iniciar na segunda quinzena de junho, acontecerá nos postos de saúde e nas escolas públicas e privadas, em parceria com a Secretaria de Educação, para aumentar a cobertura vacinal. Mais informações sobre a meningite pelo telefone 3731-2389. [gallery columns="2" ids="122825,122826,122827"]
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp