10/12/2017 às 17h33min - Atualizada em 10/12/2017 às 17h33min

União da Ilha batiza Inocentes de Maricá em tarde de gala


A Escola de Samba Inocentes de Maricá fecha o ano de 2017 com chave de ouro, sendo batizada pela tradicional União da Ilha do Governador que apresentou um show com a bateria ganhadora do Estandarte de Ouro deste ano com comando do mestre Ciça. A Inocentes presidida por Alexandre Oliveira, começará 2018 escolhendo o seu samba-enredo para o desfile que será realizado fora de época, no meio do ano. Na tarde/noite desse sábado (09), a campeã do último desfile das escolas de samba de Maricá, a Inocentes, promoveu a sua tradicional feijoada recheada de atrações como Lucas Roberto e Carol Oliveira, bateria Pegada do Gorila do mestre Sapão com sua rainha Hellen Martins e o rei Ligeirinho, bateria da União da Ilha do Governador que ganhou o Estandarte de Ouro do carnaval carioca 2017, sob o comando do mestre Ciça e um grupo de passistas. A tradicional escola de samba da Zona Norte do Rio também levou seu mestre sala e porta bandeira Phelipe & Dandara e os intérpretes Roger Linhares e Marquinho do Banjo. Cerca de mil pessoas participaram do evento na Praça Orlando de Barros Pimentel, no Centro de Maricá, onde a prefeitura montou uma grande tenda com palco para dar maior conforto aos sambistas e ao público que ainda tinham a disposição um parquinho moderno para que seus filhos pudessem brincar a vontade e com segurança. “Tenho que agradecer ao prefeito Fabiano Horta (PT) por ter resgatado nossa cultura apoiando o retorno, após oito anos, dos desfiles das escolas de samba de Maricá. Agradecemos também a União da Ilha do Governador por confiar e apadrinhar a nossa agremiação e quero anunciar que a próxima feijoada será nesse mesmo local, no dia do nosso padroeiro São Sebastião, 20 de janeiro”, disse emocionado o presidente Alexandre Oliveira. O vereador Felipe Auni (PSD) homenageou o rei da bateria da Inocentes, Christiano Ligeirinho, com uma Moção Honrosa. Auni é autor da lei que traz de volta os desfiles das escolas de samba de Maricá a partir de 2018, mas no último fim de semana de julho, evento que já integra o calendário oficial de turismo da cidade. Auni divide a lei com o vereador Ismael Breve (DEM), que dá nome de Adélia Breve a passarela do samba. Adélia foi primeira dama de Maricá e morreu recentemente num acidente em Niterói. Era muito ligada ao mundo do samba. Batismo – Os mestre-sala e porta-bandeira das Escolas União da Ilha e Inocentes de Maricá (Wladimir Bulhões e ngela Bulhões) cruzaram as bandeiras simbolizando o batismo. Numa cerimônia emocionante, o público acompanhou a evolução dos quatro sambistas que mostraram toda a leveza, graça e harmonia dignos de nota 10. Samba-enredo – Três sambas foram apresentados. O primeiro de Wagner Mariano, Luizinho da Mumbuca, Pedro Ivo e Amilson Leão; o segundo, de Mr. M. do Cavaco, Matheus Gaúcho, Jorge Cabral, Júnior Nova Geração, Marcus França e João Vidal e; o terceiro, de Gilson Araújo, Marquinho de Inhaúma, Marcos Filho, Carlinho Ouro Negro, Márcio Garcia e Xinna Compositor. O enredo é “Madelaine Colaço e o Ponto Brasileiro ... Que Deu Samba!!!” da carnavalesca Beth Morgado e a grande final será no dia 20 de janeiro, a partir das 13 horas na Praça Orlando de Barros Pimentel, no Centro, com a 5ª edição da Feijoada da Inocentes de Maricá. [gallery columns="2" ids="139765,139766,139767,139768,139769,139770,139771,139772,139773,139774"]
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp