08/02/2018 às 00h45min - Atualizada em 08/02/2018 às 00h45min

LSM lança campanha: ‘Eu quero Paz e Segurança em Maricá’


‘Eu quero Paz e Segurança em Maricá’. Esse é o lema da campanha lançada pelo site LSM nesta quarta-feira, 7, nas Redes Sociais. Em apenas três horas, o banner da campanha já havia sido curtido por mais de 1000 pessoas e já havia ultrapassado a marca de 900 compartilhamentos. Nos últimos meses, o município tem enfrentado uma onda de assaltos nunca vista em sua história. Somente no mês de janeiro foram registrados mais de oitenta roubos de rua, que são os assaltos a mão armada. Através das redes sociais, os moradores de Itaipuaçu à Jaconé reclamam da Segurança Pública em Maricá. “- Infelizmente estamos vivendo dias muito difíceis na cidade de Maricá incluindo seus distritos. Hoje temos receio de tudo e de todos, insegurança no ônibus, a pé, nos carros e muita das vezes somos levados até duvidar da pessoa que está ao seu lado, o qual isso nos faz até sermos injusto com pessoas do bem. A nossa cidade virou o depósito da criminalidade, não temos mais sossego, só não podemos nos conformar com o discurso de muitos que diz: o Rio de Janeiro todo está assim, mas não queremos nossa cidade assim, não queremos nos sentir inseguros com os nossos direitos do ir e do vir, sendo ameaçados por elementos armados retirando de nós sobre ameaça de nos matar nosso pertences, muitos ainda estão pagando a conta do celular, do relógio e de tantos outros objetos. Queremos atitude para ontem, pois o hoje não sabemos se estaremos com vida. Queremos que prefeito, vereadores e deputados eleitos por esse município, façam acontecer pois se estão dentro desses cargos foram com os nossos votos. Maricá grita por socorro”, disse Regina Queiroz no facebook. Em outubro do ano passado foi implantando pela Prefeitura, o Programa Estadual de Integração na Segurança (PROEIS), mas o projeto tem muitas falhas. Nas últimas semanas, alguns Policiais Militares estão desistindo de ‘tirar serviço’ em Maricá pelo atraso no pagamento. Segundo a Prefeitura, ela repassa o montante em dinheiro para o Governo do Estado, mas o repasse não é feito para os Militares. O serviço está precário. Também foram implantados módulos de segurança pela Prefeitura de Maricá, que também não servem para nada. Os Policiais Militares do PROEIS ficam baseados nos locais, sem ter locomoção e muito menos algum tipo de ação. No final do mês de janeiro, um carro foi roubado na Avenida Gilberto de Carvalho e os bandidos passaram em frente ao módulo, na entrada de Itaipuaçu, como se nem lá ele existisse. Moradores estão revoltados com a onda de assaltos no município e através das redes sociais já planejam fazer uma manifestação interditando até a RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) para chamar a atenção das autoridades públicas. A campanha continua por tempo indeterminado.
Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp