24/02/2018 às 18h35min - Atualizada em 24/02/2018 às 18h36min

Homem que tentou matar família da ex-mulher em Itaipuaçu ainda é procurado pela Polícia


Fernando Fernandes, de 58 anos, que atirou contra duas pessoas, seus ex-cunhados, na noite na antevéspera do Natal de 2017, em Itaipuaçu, segue sendo procurado pela Polícia. Segundo investigações da Delegacia de Maricá, o caso ocorreu na Rua Jhon Lenon, no bairro Jardim Atlântico. Fernando chegou na casa da família procurando a ex-mulher, que não estava. Transtornado, ele atirou contra os irmãos dela. As vítimas, Rodrigo Magalhães, de 29 anos, e Rosangela Magalhães de Souza, de 34 anos, ficaram feridas e precisaram ser socorridos por equipes dos Bombeiros e do SAMU. O homem recebeu alta em seguida, mas sua irmã, que estava com uma criança de um ano no colo no momento dos disparos, precisou ser transferida para o Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, e segundo informações, ficou com sequelas. Informações Quem tiver informações que levem ao paradeiro de Fernando Fernandes é só fazer contato com a Delegacia de Maricá através do telefone 3731-9965, procurar o oficial de Cartório Marco Antônio Vaz Pinto, Danilo Santos ou com o Comissário Antonio Pereira. Sobre o caso "Vou acabar com a minha vida, mas antes eu vou acabar com a vida de muita gente”. Essas teriam sido as palavras de Fernando Fernandes, de 58 anos,  empresário e técnico em eletrônica, antes de atirar contra seus ex-cunhados, segundo a sua ex-esposa, uma também técnica em eletrônica, de 35 anos, que prefere não se identificar. Ela não estava em casa no momento do crime.

Tentando reconstruir a vida após dois meses de separação de um relacionamento de cinco anos, ela agora convive com a tristeza de sua irmã, que ficou com sequelas por conta da agressão de seu ex-marido, que até o momento segue foragido.

“Eu não acreditava que ele fosse capaz de fazer nada com ninguém da minha família. Achava sempre que o alvo dele era apenas eu. Agora todos nós vivemos escondidos, com medo. Não sei até onde ele pode ir e sinto que ele ainda não terminou o que quer fazer. Eu estava escondida, fugindo dele, e acho que ele fez isso de vingança porque não me encontrava. Fez para chamar minha atenção e eu aparecer, contou a mulher.

A relação acabou em outubro de 2017, após ela não aguentar mais a rotina de agressões e os ciúmes do marido. “Depois de três anos de relacionamento ele começou a ser agressivo e me batia todos os dias, sem ter nenhum motivo. Quando começaram as agressões a gente terminava. Aí ele vinha, conversava, prometia que não faria mais e eu voltava”, narrou.

Primeiro Caso de agressão foi registrado em 2015 Mesmo após a técnica em eletrônica fazer três registros na polícia contra o ex-marido e sua família dois registros, só após a tentativa de homicídio, há um mandado de prisão contra ele. O primeiro caso aconteceu após uma agressão em 2015 e todos os outros nos últimos dois meses. 

"Há dois anos registrei que fui agredida. Quando ele tentou atear fogo em mim e no meu filho eu fui até a delegacia mais uma vez, e poucos dias depois disso, ele tacou fogo no carro do meu pai, mas minha filha viu e chamou meu irmão para apagar as chamas. As últimas foram agora quando ele entrou na casa dos meus pais e atirou contra meus irmãos e eu fiz mais um registro de ameaça. Graças a Deus até agora ninguém morreu, mas estão esperando acontecer o pior para fazerem alguma coisa? Eu tinha uma medida protetiva que ele tinha que ficar a 500 metros de mim e mesmo assim ele foi me procurar na casa dos meus pais. Ele não pode ficar solto, ele vai tentar de novo", desabafou.  Imagens de câmera de segurança flagraram o momento em que o acusado chega a casa dos ex-sogros e depois de seis minutos ele saindo com uma arma em punho. "Já tem o vídeo que mostra tudo, tem o histórico dele de agressão, tem provas. Nada disso é o suficiente? Quando ele entrou na casa, ele primeiro mirou a arma para a cabeça do meu irmão, mas por sorte ela falhou e o tiro nele depois só pegou de raspão. Agora a minhã irmã estava com o filho de 11 meses no colo e se virou para proteger o filho, e acabou atingida por dois tiros na coluna e na nádega. Agora o que vai ser da vida dela? Dois filhos pequenos para criar, dona de casa e numa cadeira de rodas. Eu temo ainda mais pela minha família. Estamos deixando de viver, não voltando para nossas casas, vivendo escondidos com medo", lamentou.  O empresário também possui uma anotação criminal na 74ª DP (Alcântara) por ato sexual contra adolescente em 2012.  Empresário é acusado de tentar incendiar a mãe e o filho Antes de tentar matar os ex-cunhados, o empresário já havia tentado colocar fogo na ex-esposa e no filho dela, de 11 anos, jogando álcool nos dois. O fato aconteceu no dia em que a mulher estava saindo da casa da casal, no Sacramento, em São Gonçalo, após a separação.  "Nós conversamos e decidimos terminar, falamos que estava mais bom para ninguém e eu até estranhei a aceitação dele. Eu estava arrumando minhas coisas à noite para ir embora logo ele falou para eu ir de manhã porque estava tarde. Quando eu estava terminando de arrumar minhas coisas e do meu filho, ele começou a me bater, me empurrar, bagunçar a mala. Eu mandei meu filho para a varanda para ele não presenciar aquilo mais uma vez, até porque ele se metia e acabava apanhando junto. Quando estávamos prestes a ir embora, ele jogou álcool em nós dois e acendeu o isqueiro. Mandei meu filho correr para a ria e ele ainda tentou me segurar, mas eu consegui me livrar dele e fugi também", relembrou. REPORTAGEM RELACIONADA https://leisecamarica.com.br/homem-nao-aceita-o-fim-de-relacionamento-e-tenta-matar-familia-em-itaipuacu/
Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp