28/05/2018 às 07h03min - Atualizada em 29/05/2018 às 21h59min

Greve dos caminhoneiros chega ao 8º dia na RJ-106, em Maricá


Por Romário Barros- Mesmo após o anúncio das medidas do Presidente de Michel Temer na noite de quinta-feira (24), o protesto continua em Maricá, na manhã desta segunda-feira, 28. A greve da categoria contra o preço do diesel entra no oitavo dia com registro de menos ônibus rodando e postos de combustível fechados. Os caminhoneiros estão parados ao longo da acostamento do km 13 da RJ-106, na Serra do Calaboca. Desde desta quarta-feira (23), caminhoneiros estavam com seus veículos parados no acostamento nos dois sentidos da Rodovia na altura do km 30, no Flamengo, mas agora mudaram de local. A Polícia Militar acompanha a manifestação e os carros de passeio e ônibus estão passando normalmente pelo local, somente caminhões estão sendo parados. O protesto dos caminhoneiros é em razão ao preço do diesel e os impostos que incidem sobre os combustíveis. Eles também reivindicam mais segurança nas rodovias estaduais e federais para reprimir os constantes roubos de carga que tem sido constantes nos últimos meses. Nova proposta Na noite de domingo (27), representantes de caminhoneiros autônomos afirmaram que aprovam as medidas para a categoria anunciadas, mais cedo, pelo presidente Michel Temer. Em Curitiba, o presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), Diumar Bueno, disse que as três novas propostas recebidas do governo federal serão levadas aos caminhoneiros no país para avaliação. "Acredito que até amanhã tenha uma resposta [sobre as propostas]. Estamos de plantão 24 horas aguardando o posicionamento da categoria pra dar uma posição à nação brasileira", afirmou Bueno no domingo. Com a nova proposta, detalhada por Temer durante pronunciamento, o governo espera encerrar a greve dos caminhoneiros. Entre as medidas está a redução de R$ 0,46 no preço do litro do diesel por 60 dias e a isenção de pegamento de pedágio para eixos suspensos de caminhões vazios. Apenas a redução de R$ 0,46 no preço do diesel custará ao governo R$ 10 bilhões. No pacote, estava prevista a edição de três medidas provisórias para atender à demanda dos caminhoneiros. As MPs saíram em edição extra do Diário Oficial da União publicada no fim da noite de domingo. REPORTAGEM RELACIONADA https://leisecamarica.com.br/onibus-e-vans-circulando-com-a-frota-reduzida-em-marica/
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp