publicidade 1200x90
07/08/2018 às 21h12min - Atualizada em 07/08/2018 às 21h45min

De olho no futuro: Prefeitura de Maricá pode adquirir ônibus híbrido Elétrico-Hidrogênio


Pelas ruas de Maricá nesta terça-feira (07), a cidade recebeu a visita da terceira geração de ônibus híbrido Elétrico-Hidrogênio desenvolvido no Brasil pela UFRJ, sob a responsabilidade do professor Paulo Emílio de Miranda, representante brasileiro na Associação Internacional para a Energia do Hidrogênio (IAHE na sigla em inglês) e responsável pelo projeto desenvolvido pela equipe do Laboratório de Hidrogênio (LabH2) da Coppe – UFRJ. Após visita do secretário de Indústria e Portuária, Igor Sardinha à universidade e o reconhecimento das potencialidades de desenvolvimento tecnológico de novas medidas sustentáveis e de oportunidades de investimento no setor industrial, o projeto foi apresentado oficialmente ao prefeito Fabiano Horta, bem como aos secretários Renato Machado (Geral de Governo), o próprio Igor Sardinha (Indústria e Portuária) e Lourival Casula (Presidente da Empresa Pública de Transporte). A comitiva foi composta por uma equipe de doutores e mestres da COPPE, liderada pelo professor Paulo Emílio, o economista Gustavo Nunes e o coordenador do Programa de Engenharia de Transporte da COPPE, professor Rômulo Orrico Filho. Segundo Igor, a ideia partiu do próprio prefeito Fabiano Horta. O secretário ressaltou o entendimento do governo de buscar aproveitar as oportunidades oriundas dos recursos dos royalties do petróleo para produzir medidas sustentáveis que não só contribuam com o meio ambiente, mas que também esteja interessado na diversificação da economia e da modificação da matriz energética. “Aproveitaremos as oportunidades geradas pelos recursos dos royalties para pensarmos a frente e investirmos num tema já em pauta na sociedade. De quebra essas ações e pesquisas abrem novas oportunidades para nossa cidade, como novas cadeias produtivas, estudos e um novo modelo de sustentabilidade. Maricá usa de seu potencial para inovar e escrever o seu futuro”, disse Igor. Segundo o professor Paulo Emilio, o futuro é promissor para o uso de hidrogênio e o presente já é uma realidade. As grandes empresas automobilísticas já possuem veículos em testes usando pilhas a combustível e na Europa e Ásia já existe um grande mercado que se utiliza da tecnologia para diversos produtos, dentre eles o transporte de passageiros. “O hidrogênio é o combustível de maior potencial energético e a tendência é que ele passe a ser utilizado plenamente pela sociedade nos próximos 60 anos, substituindo parcial e gradativamente os derivados de petróleo, para os quais 53,1% da produção nacional é usada no abastecimento do transporte. Já existem países europeus que colocaram data para a substituição de sua matriz energética. Maricá sai na frente como exemplo as grandes cidades do país e se coloca como um polo atrativo às pesquisas e às oportunidades econômicas oriundas desse pioneirismo”, explicou o professor. Num modelo pronto para ser industrializado, o ônibus híbrido elétrico-hidrogênio da Coppe tem autonomia de 330 km e atende às exigências para veículos de uso urbano no Rio de Janeiro. Os testes com passageiros foram intensificados em 2014 e realizados durante dois anos. Nesse período, enquanto as novas tecnologias eram implementadas e testadas em etapas, o ônibus circulou com frequência, na Cidade Universitária, na Ilha do Fundão. Nessa fase, o veículo transportou mais de 30 mil passageiros entre funcionários, visitantes e principalmente alunos. Foram percorridos aproximadamente 8 mil km e o consumo de hidrogênio foi de 6,7 kg a cada 100 km, com o ar-condicionado ligado. Como parte dos testes, além de circular na Cidade Universitária, o ônibus também transportou atletas na Vila Olímpica, durante os Jogos Olímpicos 2016. Pronto para industrialização, a ideia é viabilizar o uso da tecnologia no sistema de transportes do município, através da Empresa Pública de Transporte, bem como trabalhar para que a cidade se desenvolva como o principal polo industrial da tecnologia no Brasil. Sua localização logística e geográfica dá a cidade um potencial industrial que permite o escoamento dos produtos, seja pela proximidade dos portos, seja pela pelas rodovias federais, como a BR 101 e o Arco Metropolitano. “Estamos num diálogo constante para que numa nova dimensão de cidade e novas perspectivas de futuro possamos gerar oportunidades concretas para os estudantes, os trabalhadores e para novas indústrias que tenham interesse de se instalar na cidade, aliando ao desenvolvimento de novas tecnologias e geração de emprego. No mais, teremos a oportunidade de Maricá, através da EPT ser um modelo de sucesso, aliando a questão social da tarifa zero e a proteção ao meio ambiente. Temos um compromisso social com o correto uso dos recursos compensatórios dos royalties”, concluiu o prefeito Fabiano Horta. A partir do potencial de compra de ônibus pela prefeitura e da capacidade de desenvolvimento pesquisas pela COPPE serão tomadas uma série de ações para viabilizar tais projetos. Por determinação do prefeito foi criado um grupo de trabalho do governo para viabilizar a parceria. [gallery columns="2" ids="167108,167109,167110,167111,167112,167113,167114,167115,167116"]
Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp