03/09/2018 às 15h05min - Atualizada em 03/09/2018 às 15h05min

Conheça Marcelo Delaroli (PR), candidato a vice-governador na chapa de Romário


O vice de Romário (Podemos) é o deputado federal do PR Marcelo Delaroli. Ele tem 38 anos, é casado, pai de dois filhos e exerce seu primeiro mandato de deputado, iniciado em janeiro de 2017. Ele declarou patrimônio total de R$ 145.407,35. Antes de ser político, ele foi dentista e policial militar. Seu passado na PM aproximou o deputado de pautas mais ligadas à segurança pública. Na Câmara, ele participa da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado e de comissão que fiscaliza a intervenção federal no Rio, entre outras. Delaroli chegou a ser cogitado para lançar candidatura ao governo fluminense com apoio de Jair Bolsonaro (PSL), mas a negociação não avançou e Bolsonaro não deu sinal verde. Antes de firmar a aliança com Romário, ele também foi cortejado para assumir a posição de vice na chapa de Eduardo Paes, mas não houve acerto. Ele é natural de Maricá, cidade da Região Metropolitana, e afirmou que, na decisão de não se aliar ao democrata, pesou o episódio em que o então prefeito do Rio, Eduardo Paes, foi gravado em um telefonema com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chamando o município de "merda de lugar". Ele disse também que uma coligação com Romário é mais interessante ao seu partido nas eleições proporcionais de deputados. Marcelo Jandre Delaroli, nasceu no dia 10 de julho de 1980, casado com Pamela, pai da Helena e do Bernardo. Flamenguista e apaixonado por Maricá, cidade onde vive desde bebê. Evangélico, frequenta a 1ª Igreja Batista, apresentando como principal característica o jeito simples e acessível para todos. É filho de servidores públicos aposentados, que dedicaram sua vida em prol da comunidade. O pai, José Delaroli, militar, advogado e vereador por quatro mandatos em Maricá, e Iêda Maria Marins Jandre Delaroli, pedagoga na cidade. Marcelo Delaroli começou a trabalhar cedo no município, aos 14 anos, numa banca de jornal. Com incentivo da família, intensificou os estudos, surgindo a paixão pela área de saúde, se formando em Odontologia. Trabalhou na rede municipal de Maricá e abriu consultório para atender à população. Também seguiu carreira militar, mas optou por deixar o serviço para ajudar as pessoas através da política, seguindo os passos do pai. Em 2008, na sua primeira disputa eleitoral, Marcelo Delaroli candidatou-se a prefeito de Maricá. Com uma campanha simples, marcada pelo voluntariado e comprometimento de um pequeno grupo de entusiastas, alcançou o 3º lugar. Novamente candidato em 2012, enfrentou a máquina pública comandada pelo PT, e travou uma eleição disputada, não sendo eleito por uma margem de apenas três mil votos. Em 2014, Marcelo lançou candidatura a deputado federal, sendo o mais votado para o cargo no município, alcançando 33.743 votos, que lhe deram a primeira suplência. Foi ainda subsecretário estadual da Região Metropolitana. Delaroli foi o segundo mais votado para Prefeito de Maricá nas eleições 2016, apoiado pelos ex Prefeitos Ricardo Queiroz e Uílton Viana, com 33.380 votos, mas teve a candidatura indeferida. Marcelo foi condenado pelo TRE em 2013 por abuso de poder econômico por ter sido considerado beneficiado por reportagens veiculadas pelo jornal Maricá em Foco, onde sua candidatura era exaltada. Na eleição de 2016, o TRE voltou a impugnar a candidatura sob alegação de abuso de poder econômico. Em nota sobre a condenação, a assessoria de imprensa de Delaroli diz que o Tribunal Superior Eleitoral modificou o Acórdão do TRE/RJ nos autos da Ação de Investigação Judicial Eleitoral nº 489-15.2012.6.19.0055, afastando os efeitos da condenação na forma do voto do Exmo. Relator Min. Luiz Fux. Ainda segundo a nota, a questão da mencionada condenação de Marcelo Delaroli na referida AIJE e a suposta “inelegibilidade” dela decorrente foi novamente enfrentada em sede judicial em 2016, quando da tentativa de Impugnação do pedido de registro de sua candidatura à Prefeito no pleito Municipal de Maricá (AIRC 135-48.2016.6.19.0055). Novamente o Egrégio Tribunal Superior Eleitoral, segundo a nota, exauriu a questão quando do deferimento do registro do candidato à Prefeito, tendo novamente afirmado por decisão unânime da inexistência de condenação ao ora Deputado Federal Marcelo Delaroli, e, consequentemente, da inexistência de qualquer causa de inelegibilidade.
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp