22/11/2018 às 15h46min - Atualizada em 22/11/2018 às 15h48min

Maricá aguarda decisão do MPRJ para convocar selecionados no processo seletivo da saúde, diz Secretária


Por Romário Barros- A Secretária de saúde de Maricá, Simone Costa falou sobre o andamento do processo seletivo na tarde desta quarta-feira, 21, durante uma audiência pública da Secretaria Municipal de Saúde, na Câmara Municipal de Maricá. Ele diz que aguarda uma decisão do Ministério Público Estadual para fazer a convocação. Simone Costa falou sobre o processo seletivo que foi realizado no mês de Junho, e justificou o motivo do porque os selecionados ainda não foram chamados para ocupar os cargos. “O processo seletivo foi bem divulgado, nós tivemos 27 mil pessoas inscritas, uma quantidade assim muito grande. Infelizmente, muitas pessoas faltaram, sem contar que muitas das pessoas que colocaram qualificações no seu currículo, não conseguiram comprovar o que foi colocado. A nossa análise foi individual, ou seja, cada profissional teve a sua avaliação individual. O nosso maior problema é que o processo seletivo foi alvo do Ministério Público pela avaliação”, falou. De acordo com a Secretária, o motivo da demora para a contratação dos aprovados foi devido a uma ação movida pelo Ministério Público Estadual. "Nós tivemos uma audiência no MP junto com o juiz onde fizemos uma resposta, provamos tudo que foi questionado e item por item foi respondido. Agora, o juiz, pediu uma outra audiência, acredito que seja essa semana ainda, para a gente terminar. Nós temos todas essas fichas, elas estão guardadas e se o MP pedir, nós temos tudo isso. Tendo a liberação do MP, a gente já libera processo e já começam as contratações” Simone afirmou que a lista dos convocados já está pronta, dependendo apenas da liberação da justiça. “A lista final, ela está pronta mas ela tem que ser homologada de acordo com a liberação do MP tem, se não você vai homologar com o processo seletivo e logo na sequência vai ser alterado”, falou. A Secretária explicou como será a processo da convocação e contratação. “Não sabemos quanto tempo vai demorar para chamar, mas de qualquer maneira, eles vão entrar. Nós já estamos trabalhando nessa transição entre a contratação. Primeiro a gente vai fazer uma reunião com as unidades: com diretor do hospital, com o diretor da UPA, vai colocar as proposições, exemplo, o médico vai ter que entrar às 8 e sair às 8 e vai ser colocado a questão: ‘você aceita?’ Não aceitou, e ai, a gente já vai ter que chamar o segundo, porque se não entra um contratado, ele assina, mas não comparece, isso também é um problema. Você não tem como fazer um contrato sem saber se a pessoa vai ficar ou não”, falou. Segundo a Secretária nos próximos dias já haverá uma resposta sobre o processo. “Esse processo seletivo tem que se findar no máximo até o final de novembro e o início de dezembro. As pessoas vão ser contratadas e vai ter uma transição para que elas comecem a trabalhar e que elas permaneçam no local. Haverá uma apresentação sobre o local, a rotina de trabalho, não é simplesmente chegar ali dentro, e vamos assumir o plantão, então é importante isso, essa adaptação desses novos contratados”, disse. Ainda de acordo com Simone, durante a audiência com o Ministério Público foi pedido para que a Prefeitura fizesse um concurso ao invés do processo seletivo. “O que o MP pede que a gente faça um concurso. Nós temos a previsão, que não é imediata, não tem como fazer um concurso sem tem meio de responsabilidade fiscal, sem estar com o planejamento do município. Então inicialmente o propósito é a contratação temporária até o tenha um planejamento para o concurso”, finalizou.
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp