28/05/2019 às 17h35min - Atualizada em 28/05/2019 às 17h35min

Maricá adere à Campanha Nacional de “Combate ao Abuso e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes

A Secretaria de Assistência Social, através do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Itinerante, aderiu à Campanha Nacional de “Combate ao Abuso e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes” e promoveu, quinta-feira (23/05), uma ação na Praça Conselheiro Macedo Soares, Centro, em parceria com a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca, o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e o movimento de São Gonçalo, “Tecendo Redes”.

O Dia Nacional de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes é celebrado em 18 de maio. O objetivo da ação foi conscientizar a população sobre as formas de identificar e denunciar a violência, por meio de orientações e panfletagem.

Segundo o secretário Jorge Castor, não apenas o abuso sexual, mas também a exploração sexual é combatida nesta data.

“O Creas é o equipamento responsável por estes casos. A população deve procurar a equipe, que saberá proceder de forma correta e rápida”, afirmou. “O Disque 100 também é um serviço gratuito e que registra denúncias anônimas de pessoas que se sintam ameaçados ou que sofreram qualquer tipo de abuso ou exploração”, lembrou Castor. A coordenadora do Creas, Layse Guedes, ressaltou que o objetivo da ação é de alertar à população da importância da denúncia mesmo em casos de suspeita.

Cleise da Silva, de 41 anos, estava aguardando uma amiga e ficou surpreendida com as informações dos profissionais.

“Passei por abuso quando adolescente e minha família não acreditou em mim. Depois descobri que outras crianças da família também passaram pela mesma situação com a mesma pessoa. Fico feliz em saber da existência de um equipamento que trate com seriedade estes casos, pois é muito doloroso para as vítimas”, relatou. “Espero que com esta ação, as pessoas entendam que a atitude de cada um de nós pode salvar uma criança”, acrescentou J.R. Oliveira, de 79 anos.

Cleide Costa, de 43 anos, tem uma banca de arte em crochê, na praça, e disse que ficará em alerta com as pessoas que passarem por perto, já que agora sabe como proceder nestes casos, após ouvir as orientações dos profissionais.

“Hoje foi um dia interessante. Passarei essas informações para o máximo de pessoas que conheço e ainda ficarei alerta”, contou. Roberto Curi, de 49 anos, disse que mesmo que não fosse sigiloso, denunciaria. “São casos graves que devem ser combatidos”, afirmou. Durante a ação, foram distribuídas 100 mudas de árvores frutíferas e servido chá de capim limão pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca.


Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp