28/07/2019 às 10h05min - Atualizada em 28/07/2019 às 10h06min

Terceira Idade de Santa Paula realiza palestra sobre Saúde Mental e Alimentação Saudável

A Casa da Terceira Idade de Santa Paula realizou nesta quinta-feira 25/07), palestra sobre Saúde Mental e Alimentação Saudável, apresentada pelo neuropsicólogo clínico Luiz Otávio Silva (Secretaria de Políticas para a Terceira Idade) e a nutricionista Elisa Simas (Gerente da Área Técnica de Alimentação e Nutrição – Secretaria de Saúde).

Uma plateia formada por dezenas de usuários da Casa e convidados ouviu e interagiu com os palestrantes sobre as informações das principais doenças que acometem os idosos, e seu contraponto para uma reversão através de uma vida saudável. “Com o avanço da ciência e tecnologia, a vida média do brasileiro está aumentando, mas, para melhorar a qualidade de vida, é preciso criar novos hábitos de saúde, como a reeducação alimentar através de uma dieta saudável, e, principalmente, praticar atividades físicas regulares, de acordo com uma prescrição médica”, comentou Luiz Otávio.

Durante a apresentação, com auxílio do data-show, foram relatadas as doenças físicas e mentais que mais acometem os idosos, tais como: depressão, apatia, tristeza, melancolia permanente, transtorno de ansiedade, hiper e hipotireoidismo, insônia e transtornos do sono, perda cognitiva (da memória), hipertensão, cardiopatias e diabetes, e sintomas físicos como indicadores de problemas psicológicos, como dores musculares, atonia (confusão mental), cefaleia, e constipação constante. Fatores prejudiciais como o consumo de bebidas alcóolicas, e uso abusivo de medicamentos, também foram comentados.

“A energia do corpo oscila durante as 24 horas do dia. Não é uma coisa só. É preciso educar o corpo também para as suas reais necessidades”, disse o neuropsicólogo.

Luiz Otávio mencionou também a importância da leitura e bons hábitos de relacionamento, entre familiares, amigos e vizinhos. “Fizemos um levantamento de idosos do município. Temos casos de pessoas com mais de um século de vida. A lei já faculta prioridade especial dos idosos com mais de 80 anos, e, acima dos 90 anos, consideramos essas pessoas como super idosas. Estamos distribuindo uma cartilha do Ministério da Saúde, que é repassada aos municípios, para um controle completo da saúde do idoso, um raio-X do seu perfil biológico. Os postos de saúde da família estão conectados à administração da Secretaria de Saúde e monitorarão a saúde da população idosa através da cartilha, que também prevê a sua vida familiar. O idoso que tem um convívio saudável vive mais e melhor”, disse.

Foram mencionadas condições para uma melhor qualidade de vida, como, por exemplo: a ingestão de alimentos mais saudáveis (mais legumes, verduras, frutas, carnes brancas, e menos carboidratos e gorduras), e bebidas não alcoólicas (água, chás, sucos naturais), além de atividade física regular. “A ingestão de verduras de cor escura, como couve, brócolis, espinafre, rúcula e outros, são importantes para a fixação da memória. As frutas em geral alimentam e são boas para digestão, pois oferecem fibras e sais minerais, mas contém frutose, prejudicial para o diabético, pois aumenta a glicemia, se ingeridas em excesso. No diabetes, tanto do tipo 1 quanto o tipo 2, o pâncreas não produz insulina suficiente para metabolizar os açúcares, o que causa disfunção orgânica severa, podendo levar a óbito, se a doença não for tratada devidamente, com dieta especial e medicamentos”, frisou a nutricionista.

“Já o hipertiroidismo emagrece enquanto o hipotireoidismo engorda. Todos dois são disfunções hormonais e provocam transtornos físicos e psíquicos. Uma alimentação equilibrada previne muitas doenças. Oleaginosas como o amendoim possuem o selênio; no pescado temos as sardinhas, ricas em proteínas e ômega 3, que ajudam no sistema neurológico. Algumas carnes, ovos, leite, ajudam no fortalecimento da estrutura óssea e muscular, fundamental na prevenção de quedas dos idosos”, completou.

Essas e outras informações foram repassadas e discutidas de maneira acessível para os ouvintes. A presidente do Conselho Municipal de Segurança Pública, Ana Maria Quintanilha, 62 anos, achou muito produtiva e esclarecedora a palestra. “Além do conhecimento técnico, os palestrantes têm uma didática muito positiva”, declarou.

Élcio Francisco da Silveira, 88 anos, viúvo, tem três filhos e quatro netos. Está há 4 anos na Casa, mas nota uma melhora gradativa de sua saúde desde que entrou. “Cheguei na Casa com dificuldades de locomoção. A fisioterapia tem me ajudado bastante e já ando sem auxílio de muletas, andador ou mesmo bengala, Além do atendimento profissional, aqui existe cordialidade e amizade”, adiantou.

Aldiléia Vieira, 58 anos, tem hipotireoidismo e ansiedade, e faz reposição hormonal. O neuropsicólogo adiantou que este é um quadro clínico a ser revisto, pois o mais comum é a ansiedade ser provocada pelo hipertiroidismo. “É preciso exames clínicos mais completos para um diagnóstico mais preciso”, falou.

Arinda Silveira da Silva, 69 anos, toma a metade diária de um comprimido de 2mg de Clonazepam, e diz que dorme bem; se tomar o comprimido inteiro, perde o sono. Luiz Otávio informou que o sono tem três estágios, sendo o mais profundo o estágio REM. A ingestão do calmante além da dosagem prevista interrompe a sequência do sono.


Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp