publicidade 1200x90
28/10/2020 às 12h45min - Atualizada em 28/10/2020 às 16h36min

SAMU realiza curso de formação de condutores de motolância em Maricá

Foto: Denes Pereira/LSM

LSM- O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) realizou três aulas práticas do curso de capacitação para a formação de novos motociclistas socorristas da Região Metropolitana II. Ao todo, 12 socorristas participaram da instrução que aconteceu durante esta semana, na Barra de Maricá, na Região Litorânea da Cidade.

As aulas práticas aconteceram no pátio de prova de condução, localizada na Rua 13, atrás do DPO da Barra. A capacitação tem como o objetivo suprir o déficit de mão de obra qualificada em relação a motolância, ou seja, o intuito é aumentar o número de profissionais capacitados e qualificados para fazer uma condução segura, eficiente e assim, multiplicar o serviço prestado à população. 

A Coordenadora Regional de Educação Permanente do SAMU da Metro II,
Olguimar Dias, afirmou que o novo curso teve um diferencial em comparação aos anteriores. “Esse é o terceiro curso para formação de técnico e enfermeiro para motolância realizado nesses 16 anos do SAMU. Os dois primeiros foram feitos em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Aeronáutica. O diferencial deste terceiro, é que ele tem o modo da direção defensiva e pilotagem sendo realizado em expertise do nosso próprio quadro, pois são instrutores do SAMU de Niterói e Maricá”. Comentou a coordenadora regional. 

Em entrevista realizada na última sexta-feira, 23, a coordenadora Olguimar explicou que a capacitação é dividida em duas partes: teórica e prática. “O curso tem a parte de teoria, onde estará sendo abordado assuntos sobre legislação, eletrônica e tudo sobre moto, e a parte pratica, que é essa que começou hoje.

As aulas teóricas foram feitas na base de Maricá e Niterói. Já as práticas são feitas nas ruas, em diferentes terrenos, como arenosos, asfaltado, com escada e obstáculos, exatamente para treinar os futuros condutores sobre as dificuldades que os mesmos podem enfrentar no dia-a-dia, como explicou o Enfermeiro Hans Bossan, da Base de Maricá, um dos instrutores do curso. “A motolância é um recurso que a gente atende as situações diversas, então o treinamento é importante para preparar o condutor para ter equilíbrio e para realizar o atendimento. Pois além de conduzir a moto, o socorrista também fará o atendimento. Normalmente, ele é o primeiro a chegar no local e faz a primeira abordagem, então automaticamente tem que estar preparado tanto para subir e desce um obstáculo se tiver trânsito, quanto para realizar o atendimento no local com eficiência. A moto é equipada com materiais de imobilização, medicamentos, portanto, ela já vai preparada para atender o que vier”. Explicou o enfermeiro.

Todos os participantes da capacitação são socorristas formados como técnico de enfermagem e/ou Enfermeiros - que já estão na instituição - e desejaram compor o quadro de Condutores de Motolância do SAMU. Para participar, eles tiveram que estar enquadrados nos requisitos necessários para exercer a vaga, que são além na formação em Enfermagem, ter no mínimo dois anos de experiência em atendimentos de urgência e emergência, ter pelo menos, um ano de carteira de categoria A, que são as exigências determinadas pelo Ministério da Saúde. 

Para prestar um serviço de excelência, o SAMU precisa sempre correr contra o tempo e enfrentar diversos obstáculos no caminho, como congestionamento no trânsito, por exemplo. As motolâncias são grandes aliadas nestes momentos pela facilidade, rapidez e agilidade no deslocamento. O tempo resposta de uma motolância pode ser até duas vezes menor do que de uma ambulância, chegando assim mais rápido, a depender do horário e das circunstâncias. Como comentou o Técnico de Enfermagem da motolância de Maricá, Victor Portugal.  “Com a aproximação do final do ano e o período das grandes festas e férias, o trânsito estará mais agarrado, trazendo dificuldade em chegar no local, a motolância vai permitir que chegue mais rápido, de modo que a gente vai poder dar o primeiro suporte até a ambulância chegar no local”. Relatou o profissional.

Além de abrir os caminhos e chegar rápido ao local mesmo com trânsito congestionado, os socorristas da motolância tem a capacidade técnica e eficiência para fazer atendimentos em domicílios e em vias públicas à pacientes com hipertensão, com hipoglicemia, uma dor mais aguda, sem necessitar de estar enviando a ambulância, que pode estar em outra ocorrência. A motolância é um recurso da central médica de urgência e emergência que pode e deve ser utilizado em diversas e outras situações. Como comentou Luiz Carlos Gonçalves, condutor da motolância do SAMU de Maricá e Técnico de Enfermagem. “Para um atendimento que envolva Parada Cardiorrespiratória, ela é recurso muito importante. Temos uma orla extensa e no verão atrai muitos turistas, portando, é importante em um atendimento a afogados também, pela agilidade e pela eficiência também”. Disse o socorrista.

Esse foi o primeiro curso de motolância ministrado pela Metro II na cidade de Maricá. A decisão do local, trouxe alegria e satisfação para os coordenadores da SAMU da cidade.  Para a Coordenadora de Enfermagem do SAMU de Maricá, Renata Pereira, a decisão foi uma conquista para Maricá. “É um privilégio enorme, o nosso município está proporcionando esse curso de toda a Metro II. Maricá está com mais um avanço, o SAMU de Maricá mostrando que tem ótimos profissionais e que somos parceiros. Isso só tem a enriquecer o serviço do SAMU”. 

O Coordenador Geral do SAMU de Maricá, Leonardo Ribeiro, relatou que em um curso como esse, todos ganham, o SAMU, o município e a população de Maricá. “Para a sociedade, para nossa comunidade a importância muito grande, porque a facilidade de chegar mais rápido no atendimento. Nós temos o período de verão que o trânsito é maior, então esse tempo é bem mais curto para o atendimento, o que será primordial. Ter as motolâncias bem habilitadas, com excelentes profissionais, só temos a ganhar. E hoje é um dia feliz, pois Maricá está promovendo o curso, em uma parceria de toda a Metro II, mas com o orgulho do nosso município. ”

Os treinamentos práticos foram ministrados pelos instrutores do SAMU, Luiz Carlos Gonçalves, Hans Bossan e Victor Portugal - da base Maricá – e Rodrigo Brito, que pertence a Base de Niterói. A três aulas práticas que compõem a ementa de curso aconteceram nos dias 23, 24 e 28 de outubro.

Confira as fotos tiradas por Denes Pereira


Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp