publicidade 1200x90
22/06/2021 às 15h53min - Atualizada em 23/06/2021 às 08h07min

Falta de Registro de Ocorrência deixa crimes impunes em Maricá

A falta de registros de ocorrência inocentam suspeitos e faz crimes deixarem de ser investigados. Esse tem sido um grande problema enfrentado pela equipe da Delegacia de Maricá (82ª DP).

Já há tempos, os moradores de Maricá tem questionado as publicações da mídia, informando a queda do número de crimes na cidade. Periodicamente, o Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro(ISP/RJ) publica um relatório das taxas de crimes ocorridos nas cidades do Estado, com base nos registros de ocorrência. Acontece que, o fato das pessoas não comparecem a Unidade Policial para registrar um crime faz com que esse relato não seja computado.
Outra gravidade é que, por não haver registros de roubos, muitos criminosos presos pela Polícia Militar acabam sendo soltos por falta de provas.

Recentemente, o LSM publicou uma matéria em que um homem junto com dois adolescentes foram apreendidos pela Polícia Militar, portando duas réplicas de pistola dentro do coletivo do Vermelhinho e em seguida, foram liberados.
O caso aconteceu na madrugada do último sábado, 19, no RJ-106, na altura de Inoã. Os PMs suspeitaram de três homens que estavam no interior do coletivo, que havia se escondido ao perceber o tráfego da viatura. Os Militares pararam o ônibus e abordaram os três suspeitos. Após encontraram a réplica das armas, os trio foi levado para a Delegacia.

Na Unidade Policial, os três prestaram depoimentos e por não ser cabivel prisão em flagrante por portar as "armas de brinquedo" e por não haver nenhuma denúncia que eles estavam envolvidos em algum crime, os mesmos foram liberados.

A liberação causou reclamação por parte da população, porém, o delegado plantonista apenas obedeceu a lei e a cumpriu. Caso houvesse algum registro de ocorrência, o qual o suspeito se assemelhasse com os detidos, ele poderia responder criminalmente, mas como não havia nenhuma prova ou acusação, não tinha o porquê ou como prendê-lo.

Por esse motivo, o Delegado Titular da 82ª DP (Maricá), Dr. Luiz Henrique Ferreira, pede para que todas pessoas que sejam vítimas de crimes compareçam à delegacia e registre a ocorrência. Só partir deste dados, a Polícia Civil poderá investigar e prender o acusado. Os dados também são enviado para a Polícia Militar, a qual faz um mapa da região onde há uma alta taxa de incidência, a chamada "Mancha Criminal".

A Delegacia de Maricá vem trabalhando de forma exemplar, investigando e apurando os assaltos, roubos, furtos e invasões de residências da cidade. Alguns acusados já foram descobertos e presos e outros serão nos próximos dias. Porém, o sucesso desde trabalho depende da colaboração da população em está denunciando e registrando os crimes.

A população poderá estar fazendo as suas denúncias de forma anônimas e com sigilo garantido através do telefone: 3731-9965


Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp