publicidade 1200x90
28/04/2022 às 14h39min - Atualizada em 28/04/2022 às 14h35min

Saquarema tem posse de novo vereador

Ana Farias - leisecamarica.com.br
SI

Roberto Cotta Ramalho, que era presidente da Associação de Moradores e Amigos do bairro de Jaconé, teve 745 votos em 2020 e assume após licença de Roger Gomes.

Na manhã desta quinta-feira (28), ocorreu na Câmara Municipal de Saquarema, a cerimônia de posse do vereador Roberto Ramalho, que era 1º suplente do partido PSL, após ter 745 votos na última eleições, em 2020. Ramalho tomou posse após o afastamento de licença do Roger Gomes, que ficará fora durante 120 dias.


Roberto Ramalho tem 39 anos, é pai e casado. Se formou no ensino médio com técnico em administração, é formado no nível superior em direito e é policial civil do estado do Rio de Janeiro, com curso de formação em polícia penal e agente socioeducativo, atuando diretamente na Delegacia de Saquarema.

O saquaremense até antes da posse era Presidente da Associação de Moradores e Amigos de Jaconé (AMAJ). Na frente da Associação, o Roberto desenvolveu projetos sociais de surfe para crianças carentes, zumba na praia de Jaconé para os moradores, capoeira acessível a todos e outros de políticas públicas com foco totalmente social, antes disso, o mesmo sempre lidou com projetos em igrejas. Todos os projetos continuarão sendo realizados. 


Em seu discurso, Ramalho falou bastante sobre sua fé cristã e focou bastante na questão da segurança no município de Saquarema, dando ênfase e falando que é preciso ter mais atenção e lutar contra o abuso das crianças e adolescentes, com uma comissão especial, pois ele lidava com isso frequentemente na 124ª DP – Saquarema.


"Quero agradecer as 745 pessoas que confiaram seu voto em mim. Fizemos uma campanha com base em propostas, muito empenho. Quem me acompanhou sabe o quanto me esforcei", disse o atual vereador.


Roberto ficará como vereador por 4 meses (120 dias), após a licença pedida por Roger Gomes, para ajudar o seu pai, Lourival Gomes, na campanha para Deputado Federal. Em um trecho da nota oficial, Roger disse: “A decisão foi tomada pensando nos diversos compromissos pessoais que terei ao longo do ano, que certamente iria impactar no meu trabalho no Poder Legislativo, pensando em primeiro lugar no compromisso com o desenvolvimento e com o andamento dos projetos destinados à nossa cidade. Além disso, não receberei nenhum salário nesse período.”


Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp