Policiais Ambientais da Unidade de Itaipuaçu participam de operação contra poluição do Rio Guandu


LSM – Policiais Militares da Unidade de Policiamento Ambiental (UPAm) da Serra da Tiririca participaram de uma operação em conjunto com o INEA (Instituto Estadual do Ambiente) contra a poluição do Rio Guandu. Na ação, realizada nesta quinta-feira, 13, os agentes interditaram uma mineradora, na altura de Seropédica.

De acordo com informações, o objetivo da ação era verificar se as empresas estão em conformidade com as normas ambientais e se despejam material sem tratamento no Rio Guandu, um dos maiores rios do Estado do Rio de Janeiro.

Realizando a fiscalização em uma mineradora localizada em Seropédica, os agentes constataram que havia uma escavação – com colocação de manilhas escoando uma água suja de cor verde de um lago e outro de cor vermelha – onde segundo funcionários, já havia funcionado como um local de extração e mineração, mas que estava desativada.

Os agentes continuaram a fiscalização e avistaram uma certa quantidade de peixes mortos e a vegetação entorno do lago, totalmente seca,possivelmente por falta de oxigenação e em razão da água poluída.

Segundo funcionários, a água seguia por tubulações instaladas há um mês, desaguando no Rio Guandu. Após a constatação de um crime ambiental, os agentes registram a ocorrência e acionaram a perícia ao local.

A  bacia hidrográfica do Rio Guandu, que se estende em uma área de 3.600 quilômetros quadrados, é formada pelos rios Guandu, da Guarda e Guandu-Mirim e abrange uma área de 15 municípios: Seropédica, Itaguaí, Paracambi, Japeri, Queimados, Miguel Pereira, Vassouras, Piraí, Rio Claro, Engenheiro Paulo de Frontin, Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, Mendes, Mangaratiba e Barra do Piraí. O Rio Guandu é considerado um dos mais importantes para o Estado do Rio de Janeiro, pois é responsável pelo abastecimento de 9 milhões de residências em todo o Estado.

error: Conteúdo protegido!