Prefeitura de Maricá emite nota sobre a compra das mesas para a prática do “tênis de mesa”



A Prefeitura de Maricá emitiu uma nota nesta quinta-feira, 10, informando que 10 locais irão ganhar mesas para prática de tênis de mesa que integram a nova linha do mobiliário urbano do município.

Os locais, segundo a Prefeitura, que serão contemplados são: Praça Tiradentes (Araçatiba), orla da lagoa das Amendoeiras e praça central em São José do Imbassaí, praça de Ponta Negra, Condomínios Minha Casa Minha Vida de Inoã e Itaipuaçu, nova praça de Zacarias, na Barra de Maricá, Praça da Comunidade de Fernando Mendes, em Inoã e praça do Ferreirinha em Itaipuaçu.

O material utilizado na confecção das mesas, segundo a Prefeitura, é de altíssima resistência com durabilidade superior a 10 anos. Os equipamentos seguem com rigor as normas e especificações de tamanho definidos pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), disponibilizando as mesmas caraterísticas olímpicas e paraolímpicas possibilitando a prática esportiva por pessoas com necessidades especiais seguindo o conceito de inclusão implementado pela prefeitura.

A estrutura, segundo a Prefeitura, é composta de perfis metálicos galvanizados de tamanho igual ou superior a três polegadas com espessura mínima de 2,65mm. O tampo, também em aço galvanizado, é uma peça única com mínimo de espessura 3/8 de polegada. A rede divisora também é feita em chapa metálica com dobra de segurança e resistência para tornar a estrutura resistente e segura para os usuários.

Todo equipamento, de acordo com a Prefeitura, é revestido por poliéster automotivo, o que torna a mesa própria para áreas com praias e mais resistente a ação do tempo e oxidação. O material é próprio para áreas públicas e possui capacidade de carga de até 850 quilogramas o que significa, em média, o peso de 10 adultos. Por se tratarem de mobiliários urbanos, exige-se, ainda, a apresentação de laudo técnico elaborado por laboratórios inscritos no INMETRO referente à oxidação e corrosão.

Todas essas características não são encontradas em similares de mercado, de acordo com a Prefeitura. Segundo a Prefeitura, não há como comparar este tipo de mesa com as produzidas no mercado com materiais em madeiras e plásticos, que não possuem resistência ao clima e ação de vandalismo.

Os valores pagos pelos equipamentos, segundo a Prefeitura, compreendem o fornecimento do equipamento e a instalação nos locais indicados pela prefeitura contemplando, também, a inspeção e preparo dos locais, inclusive na aplicação das normas técnicas específicas exigidas para instalação.

A Prefeitura finalizou dizendo que todo o processo de compra respeitou o menor preço e o princípio da livre concorrência nos procedimentos da administração pública.

error: Conteúdo protegido!