Prefeitura inicia pesquisa de campo sobre Vulnerabilidade Social em Maricá


Durante os próximos dois meses, cerca de 30 mil domicílios serão visitados por pesquisadores de campo em uma parceria da Prefeitura de Maricá com a Organização das Nações Unidas (ONU). A iniciativa faz parte do projeto “Chegou a sua Vez”, e é realizado através do Instituto Municipal de Informação e Pesquisa Darcy Ribeiro (IDR). O novo programa teve início nesta quinta-feira (30/01) e mobilizou 80 pesquisadores em toda cidade.

De acordo com a coordenação, o projeto terá duração de um ano. Nesta primeira fase, os entrevistadores, devidamente uniformizados, farão visitas diárias a domicílios em locais pré-estabelecidos. Após o tempo de pesquisa, as famílias identificadas como vulneráveis obterão um acompanhamento direto das secretarias de Saúde, Educação e Assistência Social.

A ideia principal do projeto é identificar essas pessoas e encaminhar para os serviços básicos que necessitam. Os agentes, em grupos, aplicarão questionários simultaneamente em todo o município.  O estudo também fará com que o governo obtenha uma leitura sobre o perfil do maricaense.

“Maricá é uma pequena cidade com uma iniciativa gigante. Esse é um tipo de projeto que gostamos muito, com um objetivo de enxergar os invisíveis. Estamos aqui para não deixar ninguém para trás”, afirma oresponsável pelo escritório da ONU-Habitat no Rio, Alain Grimard. “O objetivo aqui, em parceria com a Prefeitura, é levar a todos os cidadãos de Maricá o acesso a serviços de saúde, educação e tudo que precisam”, disse.

“É uma coisa muito boa. A pessoa que é pobre não tem muita coisa. Eu preciso mesmo de ajuda, são problemas de saúde direto, preciso de atendimento e cuidado médico. Me sentiria muito bem com esse auxílio, com esse reconhecimento”, declarou a aposentada e moradora de Inoã, Quilsette da Silva, uma das primeiras pessoas a serem atendidas pelos pesquisadores.

“Vamos agora, durante alguns meses de trabalho, identificar, através da metodologia do questionário, as principais deficiências dessas regiões. Para isso, é fundamental que os cidadãos colaborem com a pesquisa. É importante a gente conhecer a cidade, o perfil da nossa população, e com isso  permitir que o governo organize políticas públicas para a cidade. Precisamos sempre de planejamento, para que assim a gente forme uma integração do governo com a população, identificando essas informações e construindo políticas públicas para a cidade”, explicou o presidente do IDR, Alan Novaes.

Fonte: P.M.M
Fotos: Evelen Gouvêa

error: Conteúdo protegido!