Prefeitura orienta comerciantes sobre cumprimento do decreto contra Covid


Fotos: Anselmo Mourão

Representantes da Prefeitura de Maricá se reuniram nesta quinta-feira (26/11) com alguns dos principais empresários do ramo de bares e restaurantes para alertar sobre o aumento das taxas de contágio de Covid-19 na cidade – a exemplo do que vem ocorrendo em todo o país – e para buscar formas de impedir o agravamento da situação. O secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leonardo Alves, observou que não há intenção, por parte do governo, de recuar na retomada da atividade econômica em Maricá, mas destacou que as regras previstas em decreto devem ser cumpridas.

“Como gestores públicos, temos o dever de tomar as medidas necessárias para resolver o problema de saúde pública, o que inclui fiscalizar e punir o comerciante que desrespeitou o decreto, seja com uma multa ou até a proibição de funcionamento”, afirmou o secretário, acrescentando que é impossível para o poder público fiscalizar todos os estabelecimentos a cada dia, daí a importância da conscientização dos empresários.

O médico Marcelo Velho, coordenador da rede de Urgência e Emergência da Secretaria de Saúde de Maricá, destacou que não é só em Maricá que a situação da pandemia de Covid-19 voltou a se agravar.

“Não gosto de usar a expressão ‘segunda onda’, porque no Brasil ainda nem saímos da primeira. Mas é fato que houve um relaxamento no cumprimento das medidas de prevenção por parte da população, que de certa maneira é até natural, devido ao longo tempo de isolamento social. Diante disso, precisamos da colaboração de todos para conter esse novo avanço da doença”, disse o especialista, que também adiantou a reabertura do pólo de atendimento a pacientes sintomáticos em Itaipuaçu, na próxima semana – atualmente, só o do Centro está em funcionamento -, e o aumento do número de profissionais no atendimento primário.

Procurador-geral do município, Fabrício Porto solicitou a colaboração dos comerciantes na observância das regras de funcionamento. “É importante que vocês, comerciantes, nos ajudem impedindo aglomerações. Não é do interesse do governo aplicar multas ou cassar alvarás, mas vocês precisam estar atentos às regras previstas no decreto, como no caso dos horários de funcionamento e de distanciamento social. Se não houver essa colaboração, a única possibilidade restante será a de agir de ofício, punindo aqueles que se recusam a seguir o ordenamento legal previsto em decreto”, afirmou ele.

Alguns comerciantes reclamaram de um possível endurecimento das regras de funcionamento, argumentando que há estabelecimentos que descumprem as normas e não são punidos, o que acaba atraindo clientes e promovendo aglomerações, enquanto os demais, que seguem as regras, registram queda no faturamento e prejuízo financeiro. Leonardo Alves ressaltou que, em casos assim, é importante manter o respeito às normas e também acionar os canais de fiscalização da prefeitura.

Fonte: PMM

error: Conteúdo protegido!