Recompensa por informações sobre assassinato de funcionário da Globo em Itaipuaçu



O Portal dos Procurados divulga nesta quinta-feira, dia (13), um cartaz com o título de – Quem Matou? – para ajudar a Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo – DHNSG – com informações que levem a identificação, localização e prisões dos envolvidos na morte de Francis Ferreira de Souza, de 32 anos, eletricista da equipe de uma série a ser lançada pela Globoplay.  O funcionário levou um tiro, no fim da noite da última segunda-feira (10), quando chegava em sua casa, em Itaipuaçu, distrito da cidade de Maricá, município de Região Metropolitana do Rio de Janeiro. 

Ele e o amigo Carlos Niedson Faria Adell, maquinista também da equipe, voltavam de um jantar quando foram rendidos por três criminosos. Francis morreu no local e Carlos foi baleado numa das pernas. O crime ocorreu no bairro Jardim Atlântico. 

Segundo as primeiras investigações, Francis correu para fechar o portão quando foi atingido, e Carlos chegou a correr dos criminosos e escapou da morte porque se escondeu em um terreno baldio. Ele foi socorrido no Hospital municipal Conde Modesto Leal, em Maricá, e depois transferido para uma unidade de saúde no Rio. 

De acordo com a Divisão de Homicídios (DH) de Niterói, que apura o caso, trabalha com todas as linhas de investigações. Ainda de acordo com a especializada, imagens já foram analisadas e a polícia agora trabalha para identificar os autores do crime. 

Francis trabalhava como eletricista na equipe da série “Shippados”, produzida para o Globoplay e que tem como protagonistas Tatá Werneck e Eduardo Sterblitch. Carlos era o maquinista da equipe. Em nota, a TV Globo informou que as gravações, que ocorriam em Maricá, foram suspensas. 

Quem tiver qualquer informação a respeito da identificação e localização dos assassinos do eletricista, favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procurados.org/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo Aplicativo para celular – Disque Denúncia – . O Anonimato é garantido. 

Todas as denúncias sigilosas sobre o caso serão encaminhadas para equipe coordenada pela Delegada Titular da DHNSG – Drª Bárbara Lomba, que ficou encarregada do caso e inquérito criminal.

REPORTAGENS RELACIONADAS

error: Conteúdo protegido!