Tiro com Arco é Maricá nos Jogos Pan Americanos de Lima


Os Jogos Pan-Americanos de 2019 contam com a participação de 41 países. O Brasil, na modalidade Tiro com Arco, enviou para Lima no Peru seis atletas, dos quais quatro de Maricá: Marcus D’Almeida (21 anos), Ane Marcelle dos Santos (25 anos), Ana Luíza Caetano (16 anos) e Marcelo Costa (19 anos). As provas acontecem no dia 07/08, sendo o recurvo masculino às 10h30 e o feminino às 13h30. O time maricaense embarcou na madrugada desta quinta-feira (01/08) em busca da vitória.

Marcus D’Almeida (21 anos) tinha apenas 12 anos quando conheceu o tiro com arco. Em praticamente 10 anos no esporte, conquistou as medalhas de prata na Copa do Mundo 2014, ouro no Mundial kadete e bronze no Pan-Americano, entre outras. Mas o vice-campeonato é o titulo que classifica como mais especial de sua carreira, por tê-lo colocado como o segundo melhor do mundo em todas as categorias.

“O Pan faz parte do circuito olímpico e o campeão já garante uma vaga direto nas Olimpíadas, então todo mundo quer ser o campeão. Além de ser um campeonato muito forte”, explica confiante em obter mais uma conquista.

Há 10 anos competindo, Ane Marcelle iniciou sua trajetória na modalidade graças a um convênio firmado pelas secretarias municipais de Educação e de Esporte e Lazer com a Confederação Brasileira de Tiro com Arco (CBTArco).

“Tinha 15 anos quando foram na minha escola e disseram que precisavam de meninas no tiro com arco. Fazia handebol, mas comecei a fazer tiro com arco, achei diferente e decidi trocar de esporte”, contou a menina, referindo-se ao projeto que garimpou talentos na rede municipal de ensino e os levou para treinar no centro montado pela confederação no bairro de Itapeba. Na época, a Prefeitura também adquiriu o equipamento esportivo voltado para os treinamentos na modalidade. 

A garimpagem funcionou, tanto que a cidade se tornou a referência no esporte no país. No currículo de Ana Marcelle estão a segunda colocação por equipe no Gran Prix do México em 2019, o terceiro lugar no Pan-Americano por equipe em 2018, o primeiro lugar individual e por equipe no Pan-Americano e na Copa do Mundo em 2017.

“Estamos indo para uma competição muito importante para lutar pela vaga olímpica de 2020 em disputas individuais e por equipe mista”, explica Ane, que com o 9ª lugar nos Jogos Olímpicos do Rio em 2016 está entre as top ten do mundo na modalidade. 

Com 19 anos, Marcelo Costa também entrou para o tiro com arco na peneira feita na escola onde estudava, o CEM Joana Benedicta Rangel. “Foi em 2011, aí em 2012 comecei a participar de competições, ganhar medalhas e fui me interessando mais. Tive um problema no meio do caminho e resolvi parar, mas voltei porque gostava mesmo do esporte. Eu já tinha feito natação, tênis, mas o tiro com arco me encantou de uma forma extraordinária”, ressaltou.

“Em 2014 ganhei minha primeira medalha de ouro lá fora. Isso foi muito importante e fez com que eu passasse a me dedicar ainda mais. Virou minha vida. Desde então, eu treino diariamente. É importante estar no Pan-Americano num time que tem condições de garantir a vaga olímpica”, garante Marcelinho, como é conhecido no meio.

A mais nova da equipe é Ana Luiza Caetano. Mesmo assim, já tem quatro anos de experiência no tiro com arco. “Eu via meu irmão fazer e passei a gostar também. Como fazia vela, acreditei que o tiro com arco fosse me dar mais equilíbrio e concentração, mas depois do primeiro campeonato, parei de velejar e passei a me dedicar a isso aqui. Comecei atirando a 5 metros, depois 18 metros. Agora atiro a 70 metros e treino todo dia de segunda a sábado. Participar do Pan-Americano é quase um sonho, porque foi uma das primeiras competições esportivas que eu acompanhei, o Pan do Rio em 2007 foi uma competição que sempre me inspirou”, revela.

A equipe retorna a Maricá no dia 13/08 mas alguns não terão muitos dias de descanso. Marcelo Costa e Ana Luíza Caetano embarcam no dia 16/08 ao lado de Marcos Porto (19 anos) para disputar o Mundial em Madri. Marcos ficou conhecido quando tornou-se campeão Brasileiro em 2017, na arena montada pela Prefeitura em plena Praça Orlando de Barros Pimentel, no Centro (Maricá).

“Para mim é uma felicidade muito grande representar Maricá neste mundial. É a primeira vez que eu vou para o mundial de base, porque só participei de um adulto. Minha equipe está muito forte e eu estou com um preparo forte também. Quero trazer a medalha para a cidade”, afirmou ele, também oriundo da peneira nas escolas municipais da cidade.

“Quando comecei estudava na escola Darcy Ribeiro em Inoã e foi através do projeto da Prefeitura, em 2012, que cheguei aqui. Nunca tinha pensado em fazer o tiro com arco, até porque era um esporte que eu não conhecia. Só depois eu vi que era um esporte olímpico, de peso e que não era visto. Aí resolvi dar o meu melhor para trazer resultados para o Brasil e ajuda-lo a crescer”, frisou.

“Ter esses atletas maricaenses representando o Brasil nessas duas competições tão importantes, é motivo de muito orgulho para todos nós. Maricá cada vez mais vem se consolidando como a capital nacional do Tiro com Arco”, comemora o secretário de Esporte e Lazer, Filipe Bittencourt que fará questão de acompanhar as disputas.

error: Conteúdo protegido!