Vereador quer que o Bloco da Farinha, em Ponta Negra, seja mais organizado para o Carnaval 2020



Por Romário Barros- O vereador Ismael Breve (DEM) reclamou sobre a sujeira provocada pelo Bloco da Farinha realizado na segunda-feira (4) de carnaval, em Ponta Negra.

O parlamentar subiu à tribuna e falou sobre problemas e reclamações relatadas pelo Bloco.

“Não é nada contra ninguém, mas tínhamos aqui, há muito tempo, o Bloco do Carvão. O Bloco do Carvão deu vários problemas aos nossos moradores, ai houveram cortes e não é diferente com o Bloco da Farinha, em Ponta Negra, acho que deveria ter um lugar para eles. O Bloco da Farinha, você não imagina a sujeira que fazem naquela rua. É difícil a pessoas terem o seu bar e ficaram alguém no bar porque aquilo ali é uma sujeira só. Um morador veio falar comigo “- vereador, minha filha quase ficou cega”. Uma senhora já de idade quase enfartou.

De acordo com o vereador, o bloco que atualmente se concentra na Rua do Canal, passa pela Ponte e segue até a Praia, deveria ser direcionado para um local mais apropriado, de tal forma que não atrapalhe os foliões e cause reclamações aos moradores.

“O bloco da farinha tem que ter um local adequado para ele, quem quiser brincar com farinha – bacana – vai para lá para o lugar apropriado. O bloco da farinha é um bloco bacana, as pessoas se diverte, o que não vale é eles importunar o direito de ir e vir naquela ponte ou naquela praça.” 

Com mais de 20 anos de fundação, o Bloco da Farinha vem de um grupo de amigos e só aumenta a cada ano, e se não tem recursos, os integrantes mesmo bancam a folia. No Bloco, o principal ingrediente é a farinha de trigo que um sai jogando no outro.

O lider do Governo na Câmara, vereador Fabrício Bittencourt interpelou o parlamanentar e afirmou que carnaval em Ponta Negra requer um planejamento e uma logística diferenciados.

“Teve um ano que eu sugeri até a cancelar esse Bloco da Farinha, em Ponta Negra, e fui altamente contestado por critérios políticos. Eu trabalhei naquela região como Policial Militar e atuei com secretário de segurança no carnaval durante 4 anos, então conheço bem aquele problema. Os blocos de Ponta Negra desembocam exatamente na única ponte que ainda tem – Estão construindo uma nova ponte, mas ainda não está pronta – e todos os problemas de transito começam ali. A questão do transito e da organização do carnaval de Ponta Negra fica bem até os blocos da tarde. Depois, vira uma bagunça generalizada e você não consegue controlar mais. Então a ideia é uma logística diferente, coisa nova a ser feita para corrigir aquilo. A questão da ponte, uma obra, e as outras, é um planejamento com questão diferente porque Ponta Negra é um caso a muito se pensar em Maricá.”

error: Conteúdo protegido!