15/05/2016 às 17h42min - Atualizada em 15/05/2016 às 17h42min

Funcionários denunciam 'esquema' nas obras de macrodrenagem em Itaipuaçu

a53d8f14-66f6-40c9-9b16-687374623025

a53d8f14-66f6-40c9-9b16-687374623025

Por Romário Barros- Um grupo de funcionários da empresa Ônix, empresa contratada pela Prefeitura de Maricá para a realização do sistema de macrodrenagem da Avenida Jardel Filho, antiga Avenida Dois, no Jardim Atlântico, em Itaipuaçu, denunciam um possível 'esquema' envolvendo as galerias de águas pluviais. Segundo um dos funcionários, que preferiu não se identificar, um 'esquema' estaria em andamento na obra. "- Os encarregados da obra estão subtraindo material que é extraído do solo e comercializando para donos de terrenos. Também estão oferecendo serviço clandestino de ligação de canos de esgoto para a galeria de águas pluviais", disse o funcionário. A galeria Pluvial é a água provinda das chuvas, que é coletada pelos sistemas urbanos de saneamento básico nas chamadas galerias de águas pluviais ou esgotos pluviais e que pode ter tubulações próprias (sendo chamado, neste caso, de sistema separador absoluto, sendo posteriormente lançadas nos cursos d'água, lagos, lagoas, baías ou no mar). O funcionário disse ainda que os salários estão atrasados. "- Somos um grupo de cinco funcionários que trabalhamos na empresa Ônix. Nosso salário está atrasado e estamos apenas reivindicando nossos direitos. Não recebemos passagem e nem aumento de salário. Estamos sendo ameaçados de sermos demitidos", contou. A denúncia do funcionários está circulando em diversos grupos no facebook e no WhatsApp. A Prefeitura de Maricá e a Empresa Ônix ainda não se pronunciaram sobre o assunto. Obras- A intervenção é a maior do gênero já realizada na região de Itaipuaçu e começou em outubro de 2014, quando foram instaladas as primeiras peças pré-moldadas que compõem a galeria, com 4,9 metros de diâmetro, dois metros de altura e 8,5 toneladas de peso. O investimento total da obra é de R$ 29,9 milhões, dos quais R$ 20 milhões são a contrapartida da Petrobras pela construção do emissário de efluentes do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) em Itaipuaçu. Por estar situada em uma espécie de bolsão, a região da antiga Avenida Dois era uma das que mais sofria com alagamentos.
page

page


Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp