13/06/2016 às 09h23min - Atualizada em 13/06/2016 às 21h24min

Homem que atirou em diretor do Detran em Maricá morre em Hospital Penal do RJ

Screenshot_3

Screenshot_3

Por Romário Barros- Paulo da Conceição Marinho, de 43 anos, que foi preso após balear o Diretor do Detran de Maricá no dia 5 de Maio morreu no último dia 9 de Junho no Hospital Penal Dr. Hamilton Agostinho Vieira de Castro (SEAP/HA), em Gericinó, em Bangu. De acordo com informações, Paulo era soropositivo e estava há algum tempo internado na Unidade Hospitalar, mas a causa da morte ainda não está disponível para visualização. A Delegacia de Maricá (82ª DP) continua investigando o caso e aguarda a emissão do laudo que deverá apontar a causa da morte do homem. História- Paulo ficou conhecido após invadir a unidade do Detran armado, fazer sua chefe refém e atirar no diretor do órgão, Orlando Aguiar Filho. De acordo com o Sargento Elmo, do Patrulhamento Motorizado Especial - PAMESP CAJUEIROS - da 4ª Companhia de Maricá, ele recebeu informações de um possível tiroteio no posto do Detran, atrás do Destacamento do Corpo de Bombeiros. Chegando ao local, Elmo foi informado por um vigilante que um funcionário do posto havia baleado o diretor do Detran, Orlando Aguiar Filho e que o atirador estaria escondido no refeitório com três possíveis reféns. Foi jogada uma bomba de efeito moral no pátio e o atirador identificado como Paulo da Conceição Marinho, de 43 anos, saiu do refeitório, se entregou e foi preso. Com ele foi apreendida uma pistola calibre 380 da marca imbel com numeração raspada. O homem foi preso em flagrante e foi encaminhado para a Delegacia de Maricá (82ª DP). Ele irá responder por tentativa de homicídio e ainda por posse ilegal de armas de uso restrito. Orlando Aguiar levou um tiro no braço e foi socorrido por equipes do Corpo de Bombeiros. Após os procedimentos de primeiros socorro, ele foi encaminhado para o Hospital Municipal Conde Modesto Leal, no Centro da Cidade. Ele foi transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, onde fui submetido a uma cirurgia e hoje ainda se recuperar da tentativa de homicídio. Ainda segundo a Polícia Militar, após atingir Orlando Aguiar, Paulo seguiu para a sala da Chefe de Serviço, onde encostou a pistola na cabeça da funcionária, porém ao acionar o gatilho, a arma teria 'engasgado'. As funcionárias que estavam com Paulo da Conceição no refeitório disseram na época que não foram mantidas como reféns. De acordo com elas, elas escutaram apenas um disparo, mas não sabiam o que havia acontecido. Elas contaram que Paulo da Conceição apareceu repentinamente com a arma na mão, mas que teria dito que não faria nenhum mal a elas. Em entrevista ao LEI SECA MARICÁ na época, Paulo da Conceição alegou estar perseguido pelo diretor da Unidade que teria dado avaliação zero para ele, e por esse motivo decidiu mata-lo. "- Eu sofria assédio moral do Orlando. Isso vêm se estendendo desde 2014 e pra mim hoje já chegou no limite quando ele veio e mostrou meu conceito todo zero e me chamando de maluco, que eu sou um retardado que tenho problema. Pensei que tinha matado ele. Eu queria matar ele e pegar mais uns dois aí", disse Paulo. Reportagens Relacionadas Exclusivo! Homem é preso após balear o diretor do Detran de Maricá
IMG_5679 (1024x683)

IMG_5679 (1024x683)

IMG_5672 (1024x683)

IMG_5672 (1024x683)

04

04

03

03

[caption id="attachment_92041" align="aligncenter" width="1221"]
Fotos :: Romário Barros - Portal de Notícias Lei Seca Maricá

Fotos :: Romário Barros - Portal de Notícias Lei Seca Maricá

Fotos :: Romário Barros - Portal de Notícias Lei Seca Maricá[/caption]
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp